Gabriel compara Timão a Juve e Atlético: “Lá é bonito, aqui, não”

O volante Gabriel exaltou na tarde desta quarta-feira o estilo “brigador” do Corinthians, que levou o clube à final do Campeonato Paulista, diante da Ponte Preta, a partir das 16h (de Brasília) do domingo, no Moisés Lucarelli. Na avaliação do meio-campista, a equipe alvinegra segue uma linha adotada por equipes como o Atlético de Madrid e a Juventus, ambos semifinalistas da Liga dos Campeões da Europa e com bons resultados recentes no futebol europeu.

“A gente espera muito respeito de ambas as partes, mas vamos para lá para vencer o jogo. Acredito que, por partida, a gente tem umas cinco chances de gol clara, então teremos de aproveitar”, explicou o meio-campista, antes de citar os dois exemplos para defender a proposta mais defensiva do Timão.

“Você pega a Juventus e o Atlético de Madrid, é bonito ver eles jogar. Mas o Corinthians não pode jogar assim, falam que é feio não propor o jogo. Essa é a nossa característica, sempre ter uma marcação forte e, com a bola no pé, saber jogar para conseguir chegar ao gol. A equipe vem evoluindo, estamos na final por méritos, e vai ser um jogo de muita pegada. Vão ser dois grandes jogos”, avaliou Gabriel, quase uma “personificação” do estilo corintiano.

“Meu estilo de jogo eu não mudei, até quando eu vinha tomando cartão me perguntavam isso. Falava que era talvez excesso de vontade. Com a forma física em dia você chega mais inteiro. Com o decorrer do jogo, eu tinha certeza que isso ia acontecer. Sabia da minha qualidade de roubar na bola, procurar fazer menos faltas. Isso, com os jogos, ia melhorando”, observou, assegurando que não está preocupado com o fato de ter dois amarelos e, se receber cartão, ficar suspenso para a decisão.

“Ter jogador pendurado acontece, mas não pode mudar nosso estilo. A gente não pode em nenhum momento pensar que está pendurado porque o primeiro jogo pode ser muito decisivo. Se acontecer o cartão, quem entrar vai entrar com muita qualidade também”, afirmou o atleta, contente pela rápida adaptação ao Timão.

“Fico feliz, principalmente pelos números, somos a melhor defesa do campeonato nos números. Vamos procurar manter isso nesses dois jogos que faltam. Para manter tem que continuar com o trabalho, a cada dia a gente está se cobrando bastante para errar menos, mesmo nas vitórias a gente tem que evoluir bastante ainda”, continuou Gabriel.

Em meio à primeira semana de treinos “cheia” desde o início da temporada, o Alvinegro terá mais três atividades antes da partida do domingo, em Campinas. A decisão do Paulista, porém, será no dia 7 de maio, no estádio de Itaquera, a primeira final da história da arena corintiana.