Gabigol e Jorge Jesus ficam? Flamengo tenta reafirmar seu poderio financeiro

Gabriel Barbosa falou em tom de despedida do Flamengo, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (04). Chegou a dizer que o jogo contra o Avaí, na quinta (05), pode marcar “a última vez” que vestirá a camisa rubro-negra no Maracanã. Entretanto, o futuro do maior artilheiro do Brasileirão de pontos corridos com 20 clubes ainda é incerto e a equipe carioca tem um trunfo na manga: o valor do salário que pode ser oferecido ao atacante.

Para contratar em definitivo o jogador, que pertence à Inter de Milão e poderia ser negociado por cerca de 20 milhões de euros, o Flamengo sinalizou com uma redução salarial em relação aos vencimentos atuais de Gabriel Barbosa (por causa do alto custo total da operação). Seria este um dos principais motivos para que a negociação ficasse estagnada – ao menos até o fim do Mundial de Clubes.

Gabigol deseja seguir com salário de 3 milhões de euros líquidos. Acontece que o valor é considerado alto até mesmo para o mercado europeu. E vale lembrar: apesar da temporada espetacular pelo Rubro-Negro, o camisa 9 do Fla ainda não é visto com muita confiança no Velho Continente, uma vez que não teve sucesso tanto pela Internazionale quanto pelo Benfica.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Gabigol Palmeiras Flamengo Brasileirão Série A 01 12 2019
Gabigol Palmeiras Flamengo Brasileirão Série A 01 12 2019
(Foto: Wagner Meier/Getty Images)

A confiança de que nenhum grande clube europeu irá pagar o salário desejado por Gabigol é o que dá esperança para a diretoria do Flamengo – que já mirou Diego Costa como possível reposição caso Gabigol realmente se despeça.

JJ: salário estratosférico pode segurar o técnico

Jorge Jesus Palmeiras Flamengo Brasileirão 01 12 2019
Jorge Jesus Palmeiras Flamengo Brasileirão 01 12 2019
(Foto: Wagner Meier/Getty Images)

Em contrapartida à situação de Gabigol, o alto salário recebido por Jorge Jesus pode ajudar o Flamengo a manter o treinador português. Segundo informado por O Globo, JJ já indicou para os dirigentes rubro-negros que cumprirá integralmente com o vínculo – que vai até junho de 2020.

Somente uma oferta de um gigante europeu ou seleção portuguesa poderiam mudar a opinião do Míster – que tem como sonho de consumo comandar o Barcelona e também deseja treinar o Porto, para entrar na lista de comandantes que já estiveram na área técnica dos três gigantes de seu país natal.

A segurança de que só poderá perder Jorge Jesus nestes casos específicos é reforçado pelo fato de que equipes médias da Europa não seriam, no geral, tão diferentes em relação ao salário de JJ, que deve subir de R$ 1,5 milhão por mês para R$ 3 milhões graças às metas atingidas em seu contrato.

Não bastasse os grandes feitos esportivos do Flamengo em 2019, o clube hoje tem confiança de conseguir fazer algo que quase nenhum outro sul-americano  faz hoje: se equiparar ao menos aos clubes médios da Europa em determinadas negociações.

Leia também