Futebol espanhol vai respeitar um minuto de silêncio por vítimas da COVID-19

AFP
Trabalhadores da saúde observam um minuto de silêncio em memória das vítimas do Covid 19 em frente ao Hospital La Princesa, em Madri, no dia 30 de abril de 2020
Trabalhadores da saúde observam um minuto de silêncio em memória das vítimas do Covid 19 em frente ao Hospital La Princesa, em Madri, no dia 30 de abril de 2020

O futebol espanhol vai respeitar um minuto de silêncio antes de todos os jogos, em sua retomada na próxima semana, em memória das vítimas do coronavírus, anunciou a federação (RFEF) neste domingo.

"A RFEF e a LaLiga anunciam que, quando o futebol retornar, em todas as suas competições profissionais e não profissionais, um minuto de silêncio será observado em memória das milhares de vítimas da COVID-19", disse a federação em um comunicado.

"As duas entidades chegaram a um acordo para prestar uma homenagem sincera durante esta temporada a todos aqueles que nos deixaram por causa da pandemia, assim como a seus familiares", acrescenta o texto.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"É por isso que, a partir desta quarta-feira, na retomada com Rayo Vallecano-Albacete como nos demais jogos da Primeira e Segunda Divisão, e nos playoffs de promoção à Segunda e Segunda B, o mundo do futebol lembrará os falecidos", conclui.

Rayo Vallecano e Albacete vão disputar o segundo tempo do jogo (da segunda divisão) que não pôde ser concluído em dezembro devido a cantos ofensivos.

Os jogos da primeira divisão vão começar na quinta-feira quando o Sevilha recebe o Betis, enquanto o Barcelona jogará contra o Mallorca fora de casa no sábado e o Real Madrid receberá o Eibar no domingo.

O Barça é o líder da tabela, com dois pontos de vantagem sobre o Real Madrid, no momento em que restam onze rodadas para disputar.

O retorno do futebol vai encerrar três meses sem jogos após a suspensão da LaLiga devido ao coronavírus em 12 de março.

A Espanha conseguiu controlar o vírus nas últimas semanas, mas foi um dos países mais afetados pela pandemia, com mais de 27.000 mortes, segundo os últimos dados.

Leia também