Futebol, escola e La casa de papel: a vida de uma joia de 17 anos do Santos

·4 min de leitura


Quem vê Ângelo em campo com a camisa do Santos esquece que se trata de um garoto de apenas 17 anos. Nesta terça-feira, o Menino da Vila completa mais um ano de vida. Durante sua passagem pelos 16 anos, o garoto viveu um turbilhão de emoções e momentos como profissional de futebol.

Rosto de garoto que precisou amadurecer muito rápido. Isso é normal no futebol, principalmente no Santos, com tantos garotos no profissional. Entre um episódio de La casa de papel, sua série preferida, um som ou outro do cantor Thiaguinho e até mesmo uma partida de videogame, Ângelo precisou ‘mudar de vida’.

“Com certeza estou com mais responsabilidades, sou um jogador profissional e meu extracampo influencia muito, por isso tenho me cuidado muito. Estou muito feliz com o reconhecimento da torcida, isso me indica que estou no caminho certo”, disse em entrevista exclusiva ao LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE.

Ângelo se considera um garoto "família". Nos tempos livres, por exemplo, estar com as pessoas mais próximas é, quase sempre, prioridade para ele.

"Eu prefiro sempre estar com minha família e amigos quando não estou treinando ou concentrado", disse.

E o Ângelo estudante?

A responsabilidade de vestir a camisa do Santos é grande, mas Ângelo tem outras obrigações que um adolescente precisa cumprir. Entre viagens pela América Latina, o Menino da Vila “ainda” precisava cuidar de seus deveres na escola.

“Passei sim (de ano na escola). A gente dá um jeito de estudar, mesmo com a correria”, brinca o jogador. “Meus amigos entendem que minha vida é de um jogador profissional, me apoiam muito e torcem muito por mim”, completa.

Novo contrato

Ainda em dezembro, o Santos anunciou a renovação de contrato com Ângelo. O novo vínculo vale até dezembro de 2024, com opção bilateral de renovação de vínculo por mais dois anos, por ser menor de idade. O jogador ainda não pensa em atuar na Europa.

“Eu não me considero uma estrela. Acho que eu tenho trabalhado bastante e quando a equipe precisar, estou apto para conseguir definir ou ajudar em um lance importante. Estou pensando somente no Santos. Renovei meu contrato e tenho muito a conquistar por aqui ainda. Meus representantes sempre souberam do meu desejo de jogar aqui, então conduziram tudo com tranquilidade e deu tudo certo.”, falou o jogador.

Ângelo entrou ao longo da partida contra o Flamengo (Crédito: Ivan Storti/Santos FC)

Drama no Campeonato Brasileiro 2021

O Santos acabou com qualquer ameaça de rebaixamento na partida contra o Flamengo, fora de casa, na penúltima rodada do Brasileirão. Mas o ano foi duro. O Peixe flertou com a zona de rebaixamento e chegou a mudar de treinador para se salvar. Ângelo viveu de perto a pressão no clube.

“O Santos é um time grande, a gente sabe desde pequeno que aqui a pressão é grande e tem que ser mesmo. A gente se dedica em campo para que a torcida seja bem recompensada na arquibancada”, comentou.

Diferenças de técnicos no ano

O Santos começou a temporada com Ariel Holan no comando técnico. Acostumado em trabalhar com jovens jogadores, o argentino sequer conseguiu terminar o Campeonato Paulista. Fernando Diniz também passou pelo Peixe, além de Marcelo Fernandes, técnico interino. A temporada acabou com Fábio Carille a frente da equipe e com Ângelo titular na última partida do Brasileirão.

“Tenho absorvido o máximo que posso de todos os treinadores que trabalhei. Cada um tem sua característica, mas todos me deram bons conselhos, que eu procuro seguir em campo”, afirma Ângelo.

Ângelo atuou pouco mais de 30 minutos contra o Fluminense (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A história no Santos

Pouca idade e muitos feitos. Ele é o atleta mais novo a marcar um gol na história da Conmebol Libertadores, aos 16 anos, três meses e 16 dias, contra o San Lorenzo, na vitória por 3 a 1, fora de casa. E entre os brasileiros, ele é o atleta mais novo a atuar na competição, com 16 anos, 2 meses e 16 dias, no triunfo contra o Deportivo Lara por 2 a 1, no dia 9 de março de 2021.

Além disso, é o segundo mais jovem a estrear com a camisa do Santos em toda a história, com 15 anos, 10 meses e quatro dias, no jogo diante do Fluminense, realizado no dia 25 de outubro de 2020. Ele ultrapassou o Rei Pelé, que carregava essa marca desde 1956. O primeiro da lista é o eterno ídolo Coutinho.

Ao resumir as conquistas, Ângelo escolheu um frase bem conhecida entre os torcedores que resume sua vida no dia a dia do Santos.

"É um orgulho que nem todos podem ter", comemora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos