Fundo de investimentos saudita desiste de comprar o Newcastle

·2 minuto de leitura
Projeto de compra do Newcastle, clube tradicional da Premier League, provocou fortes críticas
Projeto de compra do Newcastle, clube tradicional da Premier League, provocou fortes críticas

Um consórcio apoiado por um fundo de investimento saudita retirou nesta quinta-feira sua controversa oferta de compra do clube inglês Newcastle por 300 milhões de libras (388,8 milhões de dólares), anunciaram vários meios de comunicação britânicos.

Este projeto de compra de um clube tradicional da Premier League, que provocou fortes críticas de grupos de defensores dos Direitos Humanos, mas também da rede catari BeIN Sport, devido a questões de pirataria de imagens sobre as quais ela tem direitos, esperava semanas pelo sinal verde das autoridades britânicas do futebol, o que nunca aconteceu.

"Com profundo respeito pela comunidade de Newcastle e a importância de seu clube de futebol, tomamos a decisão de retirar nossa oferta pela aquisição do Newcastle United Football Club", explica um comunicado do consórcio, revelada pela Sky Sports.

Esse grupo de investidores era liderado pelo Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita (PIF), comandado pelo príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman e que pretendia comprar 80% das ações do clube no final da operação.

Ele estava associado para isso com o fundo de investimentos britânico PCP Capital Partners e com a Reuben Brothers, outra empresa de investimento britânica que pertence à segunda maior fortuna do Reino Unido, a dos irmãos David e Simon Reuben.

"Lamentamos porque estamos empolgados e totalmente comprometidos em investir na grande cidade de Newcastle e pensamos em trazer o clube para uma posição digna de sua história, tradições e o que os torcedores merecem", acrescentou o consórcio em seu texto.

A oferta, enviada há dezesseis semanas, deveria ser submetida a um processo de controle da Premier League, diante do qual o consórcio parece ter perdido a paciência. A pandemia de coronavírus, entretanto, afetou fortemente as perspectivas econômicas do futebol.

"Durante esse processo, que ocorreu imprevisivelmente, o acordo entre o grupo de investimentos e os donos do clube acabou desatualizado e nossas hipóteses de investimento não eram mais sustentáveis", afirmou o comunicado.