Funcionária diz que Rogério Caboclo a intimou a dar falso testemunho e assinar documento negando o assédio

·1 minuto de leitura


O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi denunciado, nesta sexta-feira, por uma funcionária da confederação por assédio moral e sexual. A vítima e autora da denúncia relatou ainda que Caboclo a intimou a dar falsos testemunhos para jornalistas e exigiu que ela assinasse um documento inocentando o cartola.
+ Confira a classificação das Eliminatórias Sul-Americanas!

A coerção de Rogério Cabloco sobre a funcionária se intensificou após o afastamento da mesma por motivos de saúde, em março deste ano. A vítima, no entanto, se negou a seguir as exigências do presidente.

No acordo oferecido, ela receberia uma quantia em dinheiro para se manter em silêncio diante do caso. Nesta sexta-feira, ele formalizou a denúncia na CBF.

+ Confira a denúncia de assédio sexual feita pela funcionária da CBF contra Rogério Caboclo.

No documento, a funcionária da CBF relata constrangimentos em viagens e reuniões com Caboclo na presença de outros diretores da entidade. Ela também relata um episódio em que o cartola a questionou sobre masturbação.

+ Conheça o novo app do LANCE! e fique por dentro dos resultados e notícias!

De acordo com o "ge.globo", Rogério Caboclo nega as acusações e afirma que irá provar inocência na investigação da Comissão de Ética da CBF.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos