"Fui demitido por ser campeão da Copa", diz ex-técnico do Valencia

Marcelino Garcia foi demitido na última quarta-feira da equipe espanhola. Ele crê que a saída foi graças ao título da Copa del Rey, contra o Barcelona
Marcelino Garcia foi demitido na última quarta-feira da equipe espanhola. Ele crê que a saída foi graças ao título da Copa del Rey, contra o Barcelona

Marcelino Garcia Toral está convencido de que a decisão do Valencia em demiti-lo foi devido ao título da Copa del Rey, na última temporada.

O treinador deixou o comando do time espanhol na última quarta-feira (11) por decisão de Peter Lim, dono do clube.

Marcelino esteve à frente do Valencia por duas temporadas e guiou o time ao quarto lugar de La Liga e ao título da Copa del Rey.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Além das fortes campanhas da liga, Marcelino também guiou o Valencia ao seu primeiro troféu em 11 anos no ano passado, derrotando o Barcelona por 2 a 1 e conquistando a Copa del Rey.

Mas foi esse sucesso, afirma Marcelino, que acabou custando seu emprego, com o ex-chefe do Villarreal sugerindo que ele fosse contra os desejos do conselho ao se concentrar em uma competição que ele acredita ser "menor".

"Estou absolutamente certo de que o gatilho para essa situação foi a Copa del Rey", disse ele em entrevista coletiva nesta sexta-feira (13).

"Durante a temporada, recebemos mensagens diretas e indiretas de que tivemos que deixá-la [a Copa] de lado. Os fãs queriam lutar por isso e os jogadores também. Eles tinham a convicção de vencê-la. A equipe técnica queria lutar e vencer a Copa. Eles não me disseram por que não queriam a Copa, apenas que era um torneio menor e que eu poderia colocar em risco a meta principal [classificação para a Liga dos Campeões]. Ganhar a Copa foi a razão para esta situação", afirmou.

"Não recebemos os parabéns em Sevilla [após a final da Copa del Rey] do dono do clube [Peter Lim]. Quando fui a Cingapura [para uma reunião com Lim e o presidente do clube, Anil Murthy], fui parabenizado pela classificação para a Liga dos Campeões, não por vencer a Copa", acrescentou.

Leia também