Frentistas combatem medida de Kim Kataguiri para colocar autoatendimento em postos

·1 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.10.2018 - O deputado federal eleito Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos coordenadores nacionais do MBL. (Foto: Karime Xavier/Folhapress) ORG XMIT: AGEN1810162348768595
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.10.2018 - O deputado federal eleito Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos coordenadores nacionais do MBL. (Foto: Karime Xavier/Folhapress) ORG XMIT: AGEN1810162348768595

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sindicatos de frentistas querem derrubar uma tentativa de implementar bombas de autoatendimento nos postos de combustíveis.

A medida foi proposta pelo deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) em uma emenda à Medida Provisória assinada em agosto que permite a venda direta de etanol entre usinas e postos.

Eusébio Neto, presidente da Fenepospetro (Federação Nacional dos Empregados em Postos de Combustíveis e Derivados de Petróleo), diz que vai se reunir nesta terça-feira (14) com o deputado e outras lideranças sindicais em Brasília para discutir o assunto.

“Estamos com alto índice de desemprego e essa medida ameaça o serviço de 500 mil trabalhadores do setor”, afirma Neto.

As entidades também argumentam que a dispensa dos frentistas pode trazer riscos à segurança dos consumidores nos postos. Neto diz que os profissionais são capacitados para exercer a função e aprendem a evitar incêndio.

Ele também argumenta que a automatização pode prejudicar pequenos e médios proprietários de postos que terão mais dificuldade para investir na atualização das bombas.

Procurado pela reportagem, Kataguiri afirma que está aberto a ouvir as entidades do setor para chegar a um meio termo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos