Fredy Guarín, ex-Vasco e Inter de Milão, é detido na Colômbia por violência doméstica

·1 minuto de leitura
(arquivo) O meia colombiano Fredy Guarín, então no Inter de Milão, após um gol na partida da Serie A contra o Torino, em Turim, no dia 20 de outubro de 2013

O ex-jogador do Vasco, da Inter de Milão e da seleção colombiana, Fredy Guarín, foi preso nesta quinta-feira pela polícia colombiana em meio a uma briga com seus pais no município de Envigado.

As autoridades receberam "uma chamada por violência doméstica" e ao responder à denúncia encontraram Guarín "protagonizando uma luta contra seus pais", explicou o general Jorge Vargas, diretor da Polícia Nacional, em uma declaração à mídia.

A briga causou "lesões corporais", disse Vargas, sem especificar o tipo de lesões ou a identidade dos atingidos.

Um vídeo divulgado pela autoridade mostra Guarín lutando com um policial durante vários segundos em frente a uma casa.

O jogador, que também atuou no Saint-Étienne da liga francesa (2006-2008) e no Porto (2008-2011), foi detido e encaminhado a um centro médico.

"Infelizmente, ele começou a atacar tanto a polícia quanto o pessoal médico (...) estamos avaliando possíveis denúncias de um ataque a um funcionário público", acrescentou o general Pablo Ruíz, comandante da polícia local.

Guarín, de 34 anos, voltou ao futebol colombiano no início de 2021, quando se transferiu para o Millonarios da capital, após sua recente passagem pelas ligas chinesa e brasileira.

No entanto, sua participação tem sido limitada por lesões e o meia não foi incluído na última convocação do clube, que caiu por 2 a 1 na noite anterior para o América de Cali.

Em declaração pública, o Millonarios manifestou seu "apoio" à família de Guarín e lamentou a conduta do jogador.

"Estaremos ao seu lado para que receba ajuda profissional que possa tirá-lo deste momento crítico", acrescentou o clube.

jss/lv/ol/aam