Fred promete que Fluminense vai 'dar a vida' em estreia na Libertadores e analisa reforços

LANCE!
·5 minuto de leitura


Depois de semanas de ansiedade, está chegando a hora da estreia do Fluminense na Libertadores. Nesta quinta-feira, o Tricolor receberá o River Plate (ARG) no Maracanã, às 19h (de Brasília). O escolhido para falar às vésperas do retorno à competição após oito anos foi o atacante Fred, um dos grandes nomes desta equipe. Em entrevista coletiva no CT Carlos Castilho, ele admitiu a necessidade de pontuar em casa e prometeu um grupo com "coragem e personalidade" neste que pode ser um dos confrontos mais complicados da temporada.

> Gestão Mário Bittencourt chega a 26 reforços e cinco treinadores no Fluminense; veja a lista

- Nosso sentimento é o que sempre aconteceu. É de respeitar muito nossos adversários, com o River não vai ser diferente, mas ter muita coragem e personalidade. Futebol é um jogo muito emocional, onde trocamos momentos com os nossos adversários. Terão momentos no jogo que teremos posse, em outros será nosso adversário. Nossa briga será por tomar o espaço em todos os setores do campo e agredir ao máximo. Em todas as análises, sabemos que o favorito é o River, não só no nosso grupo, mas em toda a competição. Mas sabemos da nossa força, coletiva. Vamos dar a nossa vida - disse o camisa 9.

Em outras oportunidades, o presidente Mário Bittencourt e o técnico Roger Machado admitiram que o Fluminense tem chances de sonhar com o título por ser um torneio mata-mata, de "tiro curto". Fred, porém, preferiu manter a expectativa mais baixa, mas ressaltou a importância do trabalho que já vinha sendo feito, além do acréscimo dos últimos reforços: Manoel Cazares, Abel Hernández e Raúl Bobadilla.

Veja a tabela completa da Libertadores

- Prefiro que continuemos fazendo o que deu muito certo no ano passado: um trabalho simples, de muita competitividade, porém, internamente vejo nosso grupo muito mais encorpado. Já vejo resultado no trabalho do Roger e também os reforços que chegaram, que aumentam o peso e a nossa qualidade técnica. Os caras treinaram ontem em um nível lá em cima e ficamos muito satisfeitos com o que vimos. Essa força do elenco nos dá um conforto muito grande. Além dessa molecada que já está com um ano de rodagem - analisou.

- O que vai nos colocar nessa condição de brigar pelo título é a passagem para as oitavas de final. Porque ali acho que tudo se iguala, fica tudo muito equiparado, e você mata ou morre. E temos muita condição de chegar até lá. Temos que caminhar passo a passo, brigar muito na estreia, depois para nos classificarmos, porque nosso grupo é muito difícil - completou.

Com contrato apenas até o meio do ano que vem e planos de encerrar a carreira também neste momento, Fred admitiu o enorme desejo em conquistar mais um título com a camisa do Fluminense. No Tricolor, ele tem o Brasileiro de 2010 e 2012, o Carioca de 2012, além da Primeira Liga em 2016.

- Estou em um desespero para conquistar um título importante pelo Fluminense nesse finzinho da minha carreira, para eu poder desfrutar o resto da minha vida. Estou pedindo a Deus para que ele nos capacite, nos dê força, para que esse título chegue este ano.

VEJA OUTRAS RESPOSTAS

ABEL E BOBADILLA


No treino de ontem os caras foram muito bem, meteram gols. Chegando em finais, teremos 60 e poucos, 70 jogos no ano. Vai ter período que o Bobadilla estará melhor do que eu e vai ser titular, e que Abel estará melhor e vai ser titular. É impossível não ter alternância em um calendário desse tamanho. Daqui a pouco já pode valer título no Carioca, depois tem Libertadores, depois entra Copa do Brasil, Brasileiro... É impossível manter o nível top durante quase 60, 70 partidas. O Fluminense acertou muito nesses reforços. Torço de coração para que eles metam muito gol para a gente, para que possamos estar todos em uma disputa saudável, um ajudando o outro. Quem sai ganhando é o Fluminense.

E o mais legal de tudo é que nosso ambiente é saudável, independentemente de estar jogando ou não. Não quer dizer que se alguém sair vai ficar feliz. Mas trabalho, internamente, não vamos dar. Vamos tentar buscar nosso lugar dentro de campo, mas se o professor colocar na casinha do Mickey (reserva), estaremos dispostos a ajudar o tempo que for. Mas o grupo deu uma encorpada muito grande. São jogadores de muita força, principalmente esses dois centroavantes. Vão nos ajudar muito.

ENTROSAMENTO COM REFORÇOS

É um treinador novo, colocando suas ideias, mudou muita coisa. Porém, todo treinador que chega e já vê uma base forte não tem como mudar muito no início. Ele mantém aquela base, o ideal seria contratar jogadores bem antes, mas a gente ainda dependeu da Copa do Brasil, de negociação, estamos vivendo uma pandemia onde fazer algo não está fácil, ainda mais fora (do país). Fluminense dependia de muita coisa. Confesso que fiquei assim: "Pô, não vai vir ninguém mais". E de repente o homem enlouqueceu e trouxe cinco de uma vez (risos) e deixou a gente bastante felizes. Pelo que estamos acompanhando nos treinos, os caras são acima da média.

CAZARES

Quando perguntaram do Cazares para mim já estava meio fechado. O presidente me perguntou o que eu achava eu disse: “Acho que ele é craque. Muito inteligente”. Naquela goleada sofrida para o Corinthians ele fez a diferença, perturbou muito nossos volantes. É um jogador com uma visão muito apurada. É tipo o Ganso. É "pifador", inteligente. Acham que está morto, mas está observando tudo. Ele para mim está acima da média no futebol brasileiro.

Tive uma temporada maravilhosa com ele no Atlético-MG, ele jogava no meio, às vezes ia para a ponta, tem raça, tem força, me deu muitos passes para gol. Sou fã do Cazares como jogador e ser humano, um moleque super do bem, que ouve quando você fala. Tenho certeza que vai brilhar com a camisa do Fluminense, espero que tenha muitos anos felizes aqui, porque tem potencial grande e a nossa torcida adora jogador de qualidade técnica. Acho que vai virar um ídolo nosso, tomara.