Fred e Cruzeiro se acertam e Raposa reduz débito de R$ 78 milhões para R$ 25 milhões com o jogador

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


O Cruzeiro conseguiu um alívio para suas contas ao fazer um acordo judicial com o atacante Fred. Uma audiência entre o clube e o jogador reduziu de R$ 78 milhões para R$ 25 milhões o pedido do atleta feito em ação na Justiça do Trabalho. A dívida será parcelada e o clube azul vai começar a pagar o jogar a partir de 2022.

Fred acionou o Cruzeiro em fevereiro cobrando uma dívida de R$ 78 milhões e solicitando a rescisão do contrato de forma indireta para poder acertar com outra equipe. A rescisão foi deferida, com o centroavante acertando com o Flu pouco tempo depois do começo do processo judicial.

Na ação, Fred cobrava atrasos salariais, R$ 50 milhões de multa pela quebra contratual que, para a defesa do jogador, aconteceu pela falta de pontualidade do clube no pagamento dos vencimentos dos atletas.

O Cruzeiro reagiu e derrubou a liminar de Fred para se livrar da cláusula compensatória de R$ 50 milhões. Os R$ 78 milhões são a soma das cobranças do jogador com o que ele teria direito a receber nas rescisão, mais a cláusula compensatória prevista no seu contrato com a Raposa.

Ainda há outra ação em que Fred pleiteava R$ 2,49 milhões em direitos de imagem do Cruzeiro, que foi decidida, em primeira instância, a favor do atacante, no valor de R$ 3.354.726,07, incluídos juros, correções e multas por atraso. O clube celeste pode recorrer ainda desta condenação. O jogador abriu mão desse valor também.

-O Reclamado pagará ao Reclamante a quantia líquida de 25.000.000,00 (vinte e cinco milhões de Reais), a título de indenização por rescisão de Contrato Especial de Trabalho Desportivo - dizia o acordo, homologado nesta quinta-feira.

O montante será pago em 61 parcelas de R$ 400 mil, totalizando R$ 24.400.000,00; e em 12 parcelas de R$ 50 mil, totalizando o montante de R$ 600 mil, dando o total de R$ 25 milhões.

- Verificada a ocorrência de atraso superior a três parcelas, alternadas ou sucessivas, ocorrerá também o vencimento antecipado de todas as parcelas não quitadas, com o acréscimo de multa de 10% (dez por cento) sobre o saldo devedor existente nessa data- dizia outra parte do acordo selado-estava escrito em outro trecho.

O acordo foi outra vitória fora de campo da Raposa, que vem conseguindo reduzir várias frentes de débitos, escalonando e dando um horizonte do que o clube tem de arcar nos próximos anos.

Recentemente, a Raposa diminuiu a dívida com acordos com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), tendo um desconto em impostos em mais de R$ 200 milhões, além de conseguir quitar débitos na FIFA em com outros credores.