Fred não critica árbitro e reconhece que prejudicou o Galo após expulsão

Quando o relógio do juiz marcava a metade do primeiro tempo no jogo entre Cruzeiro e Atlético-MG, vencido pela Raposa por 2 a 1, na tarde deste sábado, no Mineirão, o atacante Fred virou seu braço e acertou no rosto do zagueiro Manoel. A atitude do árbitro foi rápida: puxou do bolso o cartão vermelho e mandou o camisa 9 para os vestiários mais cedo.

Após o revés diante dos celestes, o avante evitou qualquer avaliação do trabalho feito por Igor Benevenuto  e reconhece que atrapalhou a proposta de jogo do Atlético-MG.

“Não vai adiantar nada dizer se foi justo ou não. Quem tem o apito é ele. Não há o que ficar lamentando. É claro que eu prejudiquei a equipe. Já conversei com eles, mas isso é assunto interno. O importante é que estamos classificados em primeiro lugar. Vamos com tudo para semifinal e final”, destacou.


Se Fred evitou críticas ao juiz, o lateral direito Marcos Rocha lamentou a postura do árbitro em campo. Mas o camisa 9 garantiu que não teve a intenção de agredir o defensor cruzeirense.

“Ele estava me agarrando, e eu tentei desvencilhar dele. Acabou pegando no rosto dele. Eu vi na imagem que realmente pegou. Mas eu não tive a intenção de dar soco nem nada. Esse contato é normal e natural no campo. Eu já tomei vários pisões dele, e creio que também não foi algo desleal. Ali é critério do árbitro, e ele me expulsou”, finalizou.

Apesar da derrota, o Galo segue líder do Campeonato Mineiro, com 27 pontos, quatro de diferença em relação ao Cruzeiro que é o segundo colocado.