Frank Mir critica USADA e reitera inocência em caso de doping

O último ano não tem sido fácil para Frank Mir. Isso porque o ex-campeão interino peso-pesado do Ultimate testou positivo no exame antidoping logo após seu combate mais recente, quando foi nocauteado por Mark Hunt no UFC Brisbane, evento realizado em março de 2016, na Austrália. Para piorar sua situação, a USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos) suspendeu o atleta por dois anos retroativos à data do teste, o que só o permitiria retornar ao cage em abril de 2018. Por isso, o americano fez questão de reiterar sua inocência e criticar a agência reguladora.

Em um texto compartilhado em sua conta no Facebook, Frank Mir demonstrou sua insatisfação com a medida da responsável pela análise das amostras e fez sua defesa via rede social. Na declaração, o atleta analisou o fato de ter realizado outro exame antidoping um mês antes do combate contra Hunt, e que nele não foi encontrado nenhum tipo de substância proibida. No entanto, de acordo com a última declaração da USADA, tal teste também estava contaminado, o que, de certa forma, dificulta ainda mais a tentativa de mapear quando cometeu a falha – já que antes ele limitava sua busca no período entre os testes.

“Tão difícil como era tentar analisar retrospectivamente tudo o que eu tinha consumido dentro de um período recente de seis semanas de minha vida, eu não teria ideia de onde começar a voltar anos em meu passado. O que posso fazer é reiterar a minha negação e pedir para que notem que a minha posição sobre esta questão permaneceu consistente. Em contraste, a USADA agora tem duas versões de sua narrativa a meu respeito”, relatou o americano.

Aos 37 anos, Frank Mir já é um veterano no esporte e analisa a punição como um entrave para seu retorno ao MMA. Para piorar ainda mais sua situação, seu cartel recente não é dos melhores – já que ele perdeu seis de suas últimas oito lutas no Ultimate. Ao fim de seu discurso, o americano também aproveitou para agradecer o carinho e o suporte de seus fãs.

Confira abaixo a publicação em inglês do atleta no Facebook (ou clique aqui):