Francesa campeã olímpica no judô acusa técnico e companheiro de agressão

·2 min de leitura
France's Margaux Pinot (C) is congratulated by teammates after winning the decisive point during the judo mixed team's quarterfinal bout against Israel during the Tokyo 2020 Olympic Games at the Nippon Budokan in Tokyo on July 31, 2021. (Photo by Franck FIFE / AFP) (Photo by FRANCK FIFE/AFP via Getty Images)
Margaux Pinot denunciou que seu treinador e companheiro, Alain Schmitt, a teria agredido. Foto: (FRANCK FIFE/AFP via Getty Images)

A medalhista de ouro por equipes pela seleção francesa de judô nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Margaux Pinot denunciou através de publicação nas redes sociais, que foi agredida por seu companheiro e treinador Alain Schmitt. A judoca, ainda na publicação, demonstrou indignação com a decisão da Justiça francesa, que permitiu que o agressor fosse liberado.

Margaux, de 27 anos de idade, acusa Alain Schmitt de agressão doméstica. Schmitt é ex-atleta de judô da seleção francesa e cometeu o crime no último final de semana. Leia a publicação da judoca na íntegra: "Durante a noite de sábado para domingo, fui vítima de uma agressão em minha casa pelo meu parceiro e treinador. Fui insultada, levei um soco, minha cabeça bateu no chão várias vezes. E finalmente fui estrangulada. Achei que estava morta, mas consegui fugir para me refugiar com meus vizinhos que imediatamente chamaram a polícia. Tenho vários ferimentos, incluindo um nariz quebrado e dez dias de interrupção temporária do trabalho. Hoje os tribunais decidiram libertá-lo. Qual é a sua defesa caluniosa contra minhas feridas e o sangue espalhado no chão do meu apartamento? O que estava faltando? Morte no final, talvez? Provavelmente foi o judô que me salvou. E meus pensamentos também estão com aqueles que não podem dizer o mesmo".

Leia também:

O homem foi preso pela polícia na noite de sábado, quando um vizinho do casal ouviu os gritos de Margaux durante a discussão que se tornou agressão e acionou o serviço policial na região de Seine-Saint-Denis.

Clarisse Agbégnénou, que também é campeã olímpica pela França no Judô, revoltou-se nas redes sociais e publicou que: "Não tenho palavras para exprimir tudo o que se passa na minha cabeça e no meu corpo de mulher em relação ao que sofreu a minha colega de equipa Margaux Pinot. Ainda mais chocado com a decisão do tribunal. O que é preciso para que as sanções caiam, a morte?".

Alain Schmitt afirmou que não estava embriagado durante o acontecido e negou que tenha agredido Margaux Pinot no final de semana.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos