França encara Ucrânia e pressão na repescagem da Copa

AFP
Jogadores da França fazem sessão de treinamento em 14 de novembro de 2013
.

Exibir foto

Jogadores da França fazem sessão de treinamento em 14 de novembro de 2013

A França disputará nesta sexta-feira em Kiev, às 17h45, horário de Brasília, a partida de ida da repescagem europeia, com uma vaga na Copa do Mundo-2014 em jogo e com toda a pressão sobre a equipe de Didier Deschamps, que enfrentará a Ucrânia.

Uma hipotética eliminação da França na disputa final pela classificação à Copa do Mundo poderia ter consequências nefastas para o conjunto francês, que tenta desesperadamente se manter entre as seleções ditas "grandes" do futebol mundial.

Quatro anos depois da repescagem para a Copa de 2010 contra a Irlanda, decidida na prorrogação com um gol de William Gallas após um toque de mão de Thierry Henry, o destino dos 'Bleus' passa novamente pelos jogos eliminatórios de ida e volta, com consequências que podem ultrapassar o nível esportivo.

Contra a Ucrânia, os franceses terão pela frente um adversário teoricamente mais fraco, o que nunca foi sinônimo vitória para os Bleus.

Além da polêmica com a Irlanda (1-1, na prorrogação em 18 de novembro de 2009), os franceses penaram na eliminatória da Eurocopa-2012 diante da Bósnia (1-1, em 11 de outubro de 2011), e fizeram uma péssima apresentação contra a Bulgária (derrota por 2-1) no Parque dos Príncipes, na repescagem para a Copa de 1994, que tirou os franceses da Copa dos Estados Unidos.

A recuperação da imagem do futebol francês, após vários escândalos nos últimos anos protagonizados pelos jogadores da seleção (como a greve na África do Sul-2010 ou as polêmicas com Samir Nasri e, mais recentemente, com Patrice Evra), passa inevitavelmente pela classificação para a Copa do Mundo do Brasil do ano que vem.

A dois anos de sediar a Eurocopa-2016, ficar de fora de uma Copa provocaria uma profunda crise na Federação Francesa de Futebol, que deve negociar nos próximos meses importantes contratos com patrocinadores.

Ribéry será peça fundamental

As esperanças francesas recaem em grande parte no meia Franck Ribéry, atualmente em grande fase. Fundamental na conquista da tríplice coroa (Bundesliga-Copa da Alemanha-'Champions') do Bayern de Munique no ano passado, o craque parece ter assumido o papel de líder desta seleção e precisa da classificação para ter chances de conquistar a Bola de Ouro de 2013, prêmio dado ao melhor jogador do mundo.

O treinador ucraniano, Mikhail Komenko, declarou nesta quinta-feira que seus "valentes jogadores" não têm medo de Ribéry. "Concordamos que ele é muito bom, mas estudamos as partidas da França e não podemos dizer que Ribéry assusta nossos jogadores", completou.

A classificação para o Mundial brasileiro dependerá da continuidade do treinador Didier Deschamps. Após um primeiro semestre de 2013 desastroso, o ex-capitão dos Bleus conseguiu reverter a situação, com três vitórias nas últimas três partidas, nas quais marcou um total de 13 gols.

Além de Ribéry, Deschamps conta com o bom momento de Karim Benzema, do Real Madrid.

A Ucrânia, que ficou na segunda colocação do grupo, a um ponto da Inglaterra, espera poder continuar com a sequência de 11 partidas sem derrota (não perde desde 16 de outubro de 2012 contra Montenegro por 1-0) diante de um rival que nunca conseguiu derrotar (quatro derrotas, três empates).

Trata-se de uma equipe em reconstrução, que ainda busca uma identidade após a aposentadoria da lenda do esporte no país, o atacante Andrei Shevchenko. O técnico Fomenko montou uma equipe sólida, que esperar contar com a velocidade dos pontas Andriy Yarmolenko e Yevhen Konoplyanka e a experiência do capitão Anatoly Timoshchuk para surpreender a França nesta sexta-feira.

O último duelo entre as duas seleções ocorreu na Eurocopa-2012, organizada por Ucrânia e Polônia, e terminou com a vitória da França (2-0).

Esta será a quarta participação dos ucranianos na repescagem para a Copa, após três tentativas frustradas (1998, 2002, 2010).

- Escalações prováveis:

Ucrânia: Pyatov - Fedetsky, Khacheridi, Kucher, Shevchuk - Rotan (cap.), Edmar - Yarmolenko, Gusev, Konoplyanka - Zozulya

Treinador: Mijail Fomenko

França: Lloris (cap.) - Debuchy, Koscielny, Abidal, Evra - Pogba, Matuidi - Remy (ou Sissoko), Valbuena, Ribéry - Giroud

Treinador: Didier Deschamps

Árbitro: Cuneyt Cakir (TUR)

Exibir comentários (0)
Os sites do Yahoo Esportes e do Esporte Interativo agora estão separados. Por favor, escolha qual deseja acessar: