França: Camavinga é vítima de ataques racistas após se envolver em dividida que tirou Nkunku da Copa

Camavinga durante treinamento pela seleção da França (Foto: Bertrand Guay/AFP)


Como se já não bastassem as lesões, a França teve mais um contratempo durante a preparação para a Copa do Mundo. Envolvido no lance que causou a lesão de Christopher Nkunku, no último treino da seleção francesa antes do embarque para o Qatar, o meio-campista Edouardo Camavinga foi vítima de ataques racistas nas redes sociais.

As ofensas ao jogador do Real Madrid começaram após a circulação do vídeo da forte dividida entre os dois. Dessa forma, as redes sociais de Camavinga foram invadidas por comentários ofensivos e racistas.

+ França chega a cinco baixas por lesão para Copa do Mundo; veja lista completa

O resultado da pancada foi uma entorse no joelho esquerdo de Nkunku, que vai ficar afastado dos gramados por algumas semanas e precisou ser cortado da lista de convocados da França.

Para substituir o atacante do RB Leipzig, o técnico Didier Deschamps convocou Randal Kolo Muani, atacante do Eintracht Frankfurt.

+ Copa do Mundo 2022: França embarca para o Qatar com menos campeões de 2018 do que o desejado

Entretanto, apesar dos insultos em suas redes sociais, Camavinga também recebeu apoio de alguns fãs.

A França estreia na Copa do Mundo no dia 22 de novembro, contra a Austrália, às 16h, pelo Grupo D. Na sequência, vai enfrentar a Dinamarca, no dia 26, e Tunísia, no dia 30.