França acumula lesões em campanha por defesa do título

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A França estreou com vitória na Copa do Qatar, mas a estrada pela defesa do título continua assombrada por lesões. A seleção assumiu a liderança do Grupo D após superar a Austrália por 4 a 1 na terça-feira (22), mas perdeu o zagueiro Lucas Hernández, que rompeu o ligamento do joelho direito na partida e está fora do Mundial.

Agora, os franceses se preparam para enfrentar a Dinamarca neste sábado (26), às 13h (de Brasília), no estádio 974, em Doha. O encontro também tem clima de revanche, pois os dinamarqueses venceram a seleção francesa em dois encontros neste ano, pela Liga das Nações.

Nesta sexta-feira (25), o técnico da França, Didier Deschamps, relembrou os confrontos anteriores, e reconheceu a dificuldade da partida.

"Muitas vezes, a Dinamarca é um time subestimado. Eles nos venceram duas vezes entre junho e setembro, então temos que buscar que isso não seja o caso amanhã [sábado]. Não é uma vingança. Conhecemos os jogadores dinamarqueses, e eles nos conhecem", disse.

O técnico também afirmou que deve utilizar o zagueiro Varane, do Manchester United, poupado na estreia por conta de dores musculares.

Além de Lucas Hernández, a França se preocupa com o atacante Kingsley Coman, do Bayern de Munique. Segundo os jornais franceses RMC Sports e L’Equipe, ele deixou o treino desta quinta-feira (24) mais cedo após sentir dores musculares, e pode ser dúvida para este sábado.

A lista de desfalques por lesões entre os franceses é grande: desde o início da temporada, a seleção perdeu Paul Pogba, N’Golo Kanté, Mike Maignan, Kimpembe, Nkunku e Karim Benzema -o vencedor da Bola de Ouro se tornou desfalque dias antes da estreia.

Com alterações na formação inicial, Deschamps deve começar a partida deste sábado com: Lloris; Koundé (Pavard), Varane (Konaté), Upamecano e Theo Hernández; Tchoauméni, Rabiot e Griezmann; Dembélé, Mbappé e Giroud.

A Dinamarca, por sua vez, tenta se recuperar após ter empatado sem gols contra a Tunísia. Em entrevista nesta sexta-feira, o técnico Kasper Hjulmand pregou uma intensidade maior entre os jogadores.

“O jogo de amanhã [sábado] é obviamente um jogo importante para nós depois do início que tivemos. É um adversário que pertence ao topo do futebol. A qualidade e o talento que eles têm na França no momento é espetacular", disse Hjulmand a jornalistas. “Sabemos que se jogarmos o nosso melhor, temos uma chance de obter um bom resultado. Para poder fazer isso, temos que dar um grande passo em frente na qualidade em relação à primeira partida"

Os dinamarqueses também devem lidar com os próprios problemas em relação a lesões -o meia Thomas Delaney lesionou o joelho na partida de estreia, e está fora da Copa.

A seleção dinamarquesa deve entram em campo no sábado com: Schmeichel; Joachim Andersen, Kjaer e Andreas Christensen; Rasmus Kristensen, Hojbjerg, Dammsgaard, Joachim Maehle e Eriksen; Skov Olsen e Dolberg.

Estádio: 974, em Doha (Qatar)

Horário: Às 13h (de Brasília) deste sábado (26)

Árbitro: Szymon Marciniak (Polônia)

Transmissão: Globo, SporTV, Globoplay e Fifa+