FPF busca alternativas para seguir com o Paulistão

Redação Esportes
·1 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - FEBRUARY 25: General view of Morumbi Stadium before a match between Sao Paulo and Flamengo as part of 2020 Brasileirao Series A on February 25, 2021 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)
SAO PAULO, BRAZIL - FEBRUARY 25: General view of Morumbi Stadium before a match between Sao Paulo and Flamengo as part of 2020 Brasileirao Series A on February 25, 2021 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)

Com a proibição de partidas de futebol no estado de São Paulo após novo decreto anunciado pelo governador João Dória (PSDB), a Federação Paulista de Futebol (FPF) estuda possibilidades de continuar o Campeonato Paulista, incluindo consultar outros estados que poderiam receber os jogos.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Como a nova "fase emergencial" do plano de contenção do coronavírus só começa na próxima segunda (15), a próxima rodada do Paulistão poderá ser disputada normalmente no fim de semana, mas a FPF já agendou uma reunião com representantes do governo estadual e do Ministério Público para tentar achar soluções.

Leia também:

Na reunião, a FPF deve apresentar um plano para a realização de partidas durante o período da "fase emergencial", que vai de 15 a 30 de março. 

Até o momento, a FPF já recebeu contatos das federações carioca e mineira oferecendo estádios para a realização do Paulistão. De acordo com o Globo Esporte, a possibilidade foi bem recebida pelo Governo do Rio de Janeiro.

"O Rio de Janeiro está de braços abertos ao futebol paulista", afirmou o secretário de esportes do Rio de Janeiro, Leandro Alves.

No entanto, a federação paulista busca esgotar todas as possibilidades com o próprio estado antes de partir para negociações para a disputa do campeonato.

Dois jogos da primeira fase da Copa do Brasil que estão marcados para o período da "fase emergencial" - Marília x Criciúma e Mirassol x Red Bull Bragantino - devem ser disputados em outros estados, de acordo com pedido da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).