Fortaleza quer 'atrapalhar' festa do Palmeiras em semana especial para o Leão

No primeiro turno, equipes empataram sem gols na Arena Castelão (Cesar Greco/Palmeiras)


Na próxima quarta-feira (2), Palmeiras e Fortaleza se enfrentam em um dos jogos mais importantes desta edição do Brasileirão. Com uma mão na taça, a equipe comandada por Abel Ferreira garante matematicamente o título brasileiro com uma vitória. A confirmação pode vir até com um resultado negativo, mas depende de um tropeço do Internacional contra o América-MG, em partida que será realizada em Belo Horizonte.

>Corinthians monitora Vojvoda, mas segue priorizando Vítor Pereira

Se do lado paulista o clima é de empolgação pela proximidade do 11° título de Campeonato Brasileiro na história, o Fortaleza desembarca em São Paulo também com objetivo ambicioso. Depois de acabar o primeiro turno na lanterna, o Leão conseguiu uma arrancada impressionante, garantiu a permanência e briga por uma vaga na Copa Libertadores.

E a partida marcada para ocorrer no Allianz Parque acontece em semana especial pensando na história do Tricolor do Pici. Isso porque a memorável vitória contra o Atlético-GO, jogo que garantiu a volta do clube do à elite nacional, completa quatro anos na próxima quinta-feira (3).

Marcelo Paz, presidente do clube, comentou sobre a ascensão no futebol nacional e as mudanças nos rumos da instituição nos últimos anos:

- Nesta temporada, devemos chegar na casa dos R$ 200 milhões no nosso orçamento anual, quatro vezes mais do que era quando conquistamos o acesso. Além disso, dobramos o quadro de colaboradores, que hoje conta com quase 300 funcionários. Em relação ao elenco, ao jogar a primeira divisão, os salários acabam sendo superiores também. No CT, investimentos muito em estrutura, com a construção do hotel para os atletas, gramados e vestiários novos, construção de espaços administrativos, entre outras coisas.

No período, o Fortaleza quebrou uma série de recordes históricos. Logo em 2019, garantiu uma vaga na Sul-Americana, primeira competição internacional da história da agremiação. Na temporada seguinte, flertou contra o rebaixamento, conseguindo escapar com uma rodada de antecedência. No ano passado, com a chegada do técnico Juan Pablo Vojvoda, se classificou de forma direta para a fase de grupos da Libertadores ao terminar o Brasileiro na quarta colocação, melhor posição de uma equipe nordestina na história dos pontos corridos.

Além do Brasileirão, o Fortaleza também conseguiu se destacar em outras competições importantes. Na Libertadores, passou da fase de grupos, mas caiu para o Estudiantes-ARG nas oitavas. No estadual, são quatro conquistas consecutivas. Já na Copa do Brasil, competição visada financeiramente, chegou até as semifinais em 2021, igualando a melhor campanha da história.

- De maneira geral, o saldo desta temporada foi positivo. No início do ano, conquistamos o tetracampeonato cearense e ganhamos a Copa do Nordeste de forma invicta. Na Libertadores, apesar de todos os percalços, chegamos até as oitavas, colocação que ficará marcada na história do Fortaleza. Já na Copa do Brasil, caímos para o Fluminense, em um jogo parelho que foi decidido nos detalhes - acrescenta o gestor.

Com uma das torcidas mais apaixonadas do país, os números vindos das arquibancadas também são notáveis. Em 2022, mais de um milhão de torcedores já foram acompanhar os jogos na Arena Castelão. Na plataforma de sócios, são mais de 40 mil inscritos, um dos programas mais consolidados do futebol brasileiro.

Já pensando nos próximos anos, o mandatário do Fortaleza almeja a manutenção na elite com a sequência de uma direção responsável:

- Espero que o Fortaleza possa seguir entre os dez primeiros do ranking da CBF, esteja cada vez mais consolidado na Série A, continue com boas campanhas na Copa do Brasil e que brigue por conquistas internacionais. Além disso, que a base dispute as principais competições, revelando jogadores para o plantel profissional e que o clube siga como um exemplo de gestão.