Forrest Griffin descarta retorno na 'Liga das Lendas'

Forrest Griffin faz parte do Hall da Fama do UFC - Reprodução/Twitter

Autodenominado representante dos lutadores veteranos de MMA, Vitor Belfort propôs a criação de uma liga para lendas do esporte, com regras diferentes que privilegiariam a saúde dos atletas mais experientes como o fim das cotovelas, das joelhadas e a inclusão de rounds mais curtos. No entanto, nem todos os lutadores demonstraram interesse em retornar à ativa, o que é o caso de Forrest Griffin, ex-campeão meio-pesado (93 kg) do Ultimate.

Em entrevista ao podcast ‘UFC Unfiltered’, Griffin culpou sua condição física como principal razão para não voltar a subir ao octógono. De acordo com o americano, que se aposentou precocemente em 2012 após vencer Tito Ortiz quando tinha apenas 33 anos, ele não pretende desgastar mais seu corpo e tem como prioridade estar saudável para aproveitar o tempo ao lado de sua família.

“Para mim, simplesmente não consigo fazer isso fisicamente. Meio que também sempre quis fazer pro wrestling, mas não posso. Não tenho um joelho e nem um ombro. Nesse ponto da minha vida não é que eu esteja preocupado com meu queixo ou qualquer coisa, e muito menos receoso de ir lá e levar a pior. Eu simplesmente vejo como as pessoas se movem aos 60, e eu não devo morrer antes disso. Devo ter netos e quero jogar futebol. Não quero desgastar ainda mais meu corpo”, relatou o ex-campeão.

Além de ser antigo o antigo dono do cinturão dos meio-pesados, Griffin também foi o primeiro atleta a ser campeão do TUF, reality show do Ultimate, feitos que lhe garantiram um lugar no Hall da Fama do evento. Mas mesmo com uma carreira repleta de conquistas, o atleta indicou carregar arrependimentos da época em competia, e em discurso no mínimo curioso revelou que os aspectos do MMA que mais lhe fazem falta são os treinamentos.

“Você sabe do que eu mais sinto falta? Sinceramente, é o treinamento. Realmente sinto falta do treinamento. É engraçado porque tenho alguns arrependimentos. Não aproveitei isso como poderia. Eu curtia muito isso no começo, mas ao final da carreira eu não sei… Botei muita pressão sobre mim e esqueci que amava fazer essa m****. Esqueci quanta diversão poderia ter tido”, completou.

Leia também