Após 26 anos na Seleção, Formiga merecia ter uma despedida melhor

·3 min de leitura
Formiga vestirá a camisa da Seleção Feminina pela última vez nesta quinta (Foto: Silvestre Szpylma/Quality Sport Images/Getty Images)
Formiga vestirá a camisa da Seleção Feminina pela última vez nesta quinta (Foto: Silvestre Szpylma/Quality Sport Images/Getty Images)

Nesta quinta (25), depois de vinte e seis anos, Miraildes Maciel Mota, a Formiga, fará sua despedida da Seleção Brasileira Feminina. Mesmo com uma história imensa dentro do futebol brasileiro, a atleta de 43 anos não terá um adeus apropriado para quem tanto fez pelo esporte no país, seja com a camisa amarela ou nos clubes onde passou.

O último jogo de Formiga será contra a Índia em um torneio amistoso que também terá Venezuela e Chile, adversárias do Brasil nos próximos jogos. Mas além de adversárias de um baixo escalão no futebol feminino mundial no momento, a CBF cometeu inúmeros erros no processo.

Leia também:

Em 9 de novembro, a técnica Pia Sundhage e a coordenadora de seleções Duda Luizelli anunciaram o torneio, a despedida de Formiga e a convocação da equipe para as partidas. Depois disso, praticamente nenhuma informação foi revelada ao público até o início desta semana, em que será disputado o torneio.

A confirmação do horário da partida e da transmissão veio apenas na noite de segunda (22), três dias antes do jogo, marcado para às 21h no horário local e 22h no horário de Brasília.

Além disso, existem relatos de pessoas em Manaus de que não havia nenhum tipo de divulgação do torneio, seja publicidade ou informação de como adquirir ingressos.

A primeira informação sobre os bilhetes veio apenas na manhã de segunda (23), quando a CBF postou em seu site e nas redes sociais um site e o endereço de um posto de vendas físicas na capital do Amazonas. O ingresso mais barato para um jogo é de R$ 40 (meia entrada) e R$ 80 (inteira), além da taxa de conveniência. O passaporte para as três rodadas custa R$ 100.

Um dos nomes mais importantes da história do futebol no Brasil merecia uma despedida mais adequada e com mais promoção por parte da CBF. Se a entidade realmente quiser confirmar a proposta de organizar o futebol feminino no país, ela tem que se atentar melhor a aspectos importantes, como reconhecer a grandeza de uma das melhores que vestiu a amarelinha.

Aos 43 anos, Miraildes Maciel Mota se despede da Seleção após vinte e seis anos de serviço, sendo a única jogadora da história a participar de sete das oito Copas do Mundo organizadas pela Fifa, além de estar presente em sete Olimpíadas, todas desde a entrada da modalidade no programa olímpico.

Com a Seleção, ela conquistou uma Copa América, três medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos, um vice-campeonato da Copa do Mundo em 2007 e duas pratas nas Olimpíadas (2004 e 2008). 

Ela tem mais um ano de contrato com o São Paulo e deve encerrar a carreira ao fim do vínculo com o Tricolor no fim de 2022. Em entrevista ao jornal O Globo, ela disse que quer se tornar dirigente para ajudar as jovens que estão entrando no esporte. 

"Eu não quero que essas meninas que estão chegando agora passem pelas dificuldades por que eu passei e outras pioneiras também", disse a volante. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos