Foragido por fraudar DPVAT, empresário é preso em resort de luxo após postar localização na internet

Empresário Marcio Cantoni, de Londrina, estava foragido da polícia. Foto: Reprodução/Facebook
Empresário Marcio Cantoni, de Londrina, estava foragido da polícia. Foto: Reprodução/Facebook

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Empresário que teria aplicado golpe em ao menos 500 pessoas foi preso em resort de luxo em Monte Verde, distrito no Sul de Minas, após postar localização em rede social.

  • Segundo polícia, ele apresentou RG em nome de outra pessoa, ao ser abordado, e depois confessou verdadeira identidade; teria ainda pago R$ 5 mil a um policial para não ser preso.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Suspeito de liderar um esquema de fraude no pagamento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículo Automotor (DPVAT), o empresário Márcio Rodrigo Cantoni foi preso em um resort de luxo em Minas Gerais.

A informação foi divulgada pelo portal G1. De acordo com a Polícia Civil, Cantoni estava no distrito de Monte Verde, que fica em Camanducaia, no Sul de Minas, com a namorada. Foragido da polícia, ele foi detido após postar a localização na internet.

Leia também

Ainda segundo a polícia, o empresário apresentou um RG em nome de outra pessoa, ao ser abordado. Em seguida, no entanto, confessou a verdadeira identidade e disse ter pago R$ 5 mil a um policial para não ser preso em outra ocasião.

Cantoni e mais quatro pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) pelas fraudes em maio de 2017. A polícia estima que pelo menos 500 pessoas foram vítimas do golpe em todo o Brasil.

Na denúncia, o MP alegava que os suspeitos formavam um grupo "que tinha como objetivo identificar e angariar vítimas de acidente de trânsito e, em seguida ingressar com ações judiciais em nome delas, por meio de procurações e documentos falsos, pedindo indenização referentes ao seguro obrigatório”.

Ainda de acordo com o Ministério Público, os suspeitos, sob a liderança de Márcio Cantoni, "teriam se apropriado indevidamente dos valores recebidos em decorrência de indenizações, deixando de repassá-los a quem de direito, provocando prejuízos às vítimas”.

O empresário foi encaminhado para o Presídio de Extrema, em Minas Gerais, e responde por porte de drogas, corrupção ativa e uso de documentos falsos.

A prisão aconteceu no último dia 27, mas só foi divulgada pela polícia nessa sexta-feira (3). Procurado pelo G1, o advogado de Cantoni preferiu não se manifestar.

Cantoni é de Londrina, Norte do Paraná. O jornal Folha de Londrina publicou que o Ministério Público do Paraná, ao ser informado da prisão de Cantoni pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, solicitou a remoção da custódia para a cidade. Isso foi deferido já na noite dessa sexta-feira (3): a transferência foi acatada pelo juiz Marcos Caires Luz, que estava no plantão judiciário.

DPVAT

O DPVAT paga indenizações que podem chegar a R$ 13,5 mil. O pedido do seguro é gratuito e um direito de toda a vítima de acidente de trânsito no país.

Administradora do DPVAT, a Seguradora Líder informou que denuncia às autoridades todos os casos em que há suspeita de crimes. A seguradora alerta que os segurados não devem aceitar a ajuda de terceiros para conseguir o seguro obrigatório.

Leia também