Fora do Palmeiras na semi contra o River em 1999, Júnior relembra: 'Torcer assim não é bom, não'

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


Um dos principais jogadores do Palmeiras na conquista da Copa Libertadores de 1999 não esteve em campo nas duas semifinais contra o River Plate. Suspenso, Júnior viu de casa, com a família, a classificação há mais de duas décadas e garante que a situação não é nada boa.

>> Confira e simule a tabela da Copa Libertadores

>> A década do Palmeiras em 20 imagens

- Os jogos eu assisti na minha casa com a minha família. Olha, torcer assim não é muito bom, não. Você fica apreensivo porque não pode ajudar dentro do campo e não é bacana, não - relembra Júnior ao LANCE!/NOSSO PALESTRA.

​O lateral-esquerdo cumpriu dois jogos de suspensão em razão da expulsão no segundo jogo das quartas de final contra o Corinthians, quando Marcos pegou dois pênaltis e garantiu o Verdão vivo na competição continental.


Antes, Júnior havia levado o vermelho contra o Vasco, na vitória por 4 a 2, em São Januário. Como era reincidente, o ala precisou cumprir duas partidas e, por isso, não esteve em campo no revés em Buenos Aires por 1 a 0 e, posteriormente, viu de casa o show de Alex nos 3 a 0 da volta, no antigo Palestra Italia.

O lateral foi substituído por Rubens Júnior nos compromissos diante dos argentinos. Ele é só elogios ao ex-colega de Palmeiras:

- Vieram esses dois jogos contra o River e eu tinha sido expulso contra o Vasco e depois o Corinthians e daí jogou o Rubens Júnior. Ele fez duas partidas maravilhosas.

A conquista é especial para Junior, uma vez que, individualmente, ele foi um dos destaques da campanha, com assistência para Oséas na final contra o Deportivo Cali, da Colômbia. O tento levou a final para as penalidades e o Verdão sagrou-se campeão quando Zapata chutou a última cobrança fora.

- Graças a Deus esse título de 1999 veio, tão importante para o clube. Fiquei muito feliz por ter feito um belo campeonato, entreguei todo o meu futebol para que a conquista viesse. Para mim, individualmente, é muito bacana poder entrar para a história do clube. Foi maravilhoso - diz Júnior, aconselhando os atletas do atual elenco antes das partidas decisivas.

- O meu conselho é para que o pessoal de hoje entre em campo focado, determinado. A primeira partida é muito importante para que a segunda possa ser aproveitada da melhor maneira possível - finaliza o ex-lateral que fez 337 partidas pelo Verdão, com 20 gols marcados e cinco títulos.

Palmeiras e River Plate começam a decidir uma vaga na final da Libertadores na próxima terça-feira (5), na Argentina. O jogo da volta no Allianz Parque será uma semana depois, no dia 12.​