Fora de casa, Athletico-PR surpreende e derrota o Aucas pela Sul-Americana

Futebol Latino
·3 minuto de leitura


E o Athletico-PR iniciou sua campanha rumo ao bicampeonato da CONMEBOL Sul-Americana com o pé direito. Na noite desta terça-feira, o time brasileiro visitou o Aucas, no estádio Chillogallo, em Quito, saindo vitorioso pelo placar de 1 a 0 graças ao gol de Erick, ainda na etapa inicial.

Com o resultado, o Furacão chegou aos 3 pontos no Grupo D, mirando o duelo na sequência diante o Metropolitanos, na próxima quarta-feira. Já o time da capital equatoriana, por conta do revés, ficou na terceira colocação da chave sem nenhum ponto, e tentará sua recuperação diante o Melgar, no mesmo dia.

AUCAS INICIA MELHOR O JOGO

Jogando em casa, o time equatoriano não quis saber de ceder espaços ao Athletico-PR. Com isso, nos primeiros 15 minutos, procurou manter mais a posse de bola, além de arriscar jogadas em velocidade com Quiñonez, sendo o homem mais acionado no meio-campo dos mandantes, deixando a zaga do Furacão atenta a qualquer tentativa de finalização contra o goleiro Bento.

ATHLETICO POUCO ATACAVA O RIVAL

Pelo fato de jogar na altitude de Quito, a equipe brasileira parecia não estar à vontade em campo. No entanto, com o passar do tempo, até meados dos 30 minutos, passou a tentar equilibrar mais o duelo, conseguindo criar jogadas com Nikão, no entanto, a bola não encontrava os pés dos outros atacantes, sendo o único lance de maior perigo através de Léo Cittadini que, por sua vez, arriscou um chute que saiu torto pela linha de fundo.

FURACÃO SURPREENDE E ABRE A CONTAGEM

Apesar do fraco desempenho até então, o Athletico procurou não desanimar. Sendo assim, aos 37 minutos, aproveitando cruzamento no escanteio batido por Nikão, o lateral Erick apareceu no meio da marcação para abrir a contagem na capital equatoriana 1 a 0.

SEGUNDO TEMPO COM CHUVA DE CARTÕES AMARELOS

Já na etapa final, ao que tudo indicava, o Athletico voltaria com mais tranquilidade. No entanto, visou pressionar mais a saída de bola do adversário, porém, com sua forte marcação, acabou vendo três de seus jogadores ficarem pendurados com cartões amarelos distribuídos pelo árbitro.

Por parte do Aucas, que ainda buscava seu tento de igualdade, Quiñónez foi único amarelado, já que acabou fazendo uma falta seguida de outra.

EQUILÍBRIO E EXPULSÃO DE JOGADOR DO AUCAS

Até meados dos 30 minutos, o time local ainda seguia na expectativa de conseguir seu gol. Porém, mesmo com as chances aparecendo como na bicicleta de Cano, o perde e ganha no meio-campo passou a ditar o ritmo, fazendo com que o duelo ficasse mais brigado.

E para piorar a situação, a equipe de Quito viu um de seus jogadores receber cartão vermelho. Cuero Quiñónez, depois de recuperar a bola, acabou se irritando com Babi, que havia entrado no lugar de Kayzer, agredindo o jogador adversário e sendo expulso em seguida.


RETA FINAL COM EMOÇÃO

Mesmo com desvantagem numérica, a equipe do Aucas não quis saber de ficar apenas se defendendo e foi para cima. No entanto, mesmo com os 5 minutos de acréscimos dados pela arbitragem, Bento e companhia mostraram que não estavam disposto a ceder o empate nos momentos finais, conseguindo segurar a pressão rival para garantir seus primeiros 3 pontos na chave.


FICHA TÉCNICA
AUCAS x ATHLETICO-PR - 1ª RODADA DA FASE DE GRUPOS DA SUL-AMERICANA
Estádio: Chillogallo, em Quito (EQU)
Data: 20 de abril de 2021, às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Piero Maza (CHI)
Assistentes: Alejandro Molina (CHI) e Miguel Rocha (CHI)
Cartões amarelos: Jhonny Quiñónez (AUC) / Fernando Canesin, Pedro Henrique, Nikão (CAP)
Cartões vermelhos: Cuero Quiñónez (AUC)

GOLS: Erick, 37'/1ºT

AUCAS (Técnico: Luciano Precone)
Damián Frascarelli; Jonathan González, Richard Mina, Angelo Pizzorno e Carlos Cuero Quiñónez; Stiven Tapiero, Jhonny Quiñonez e Edison Vega; Victor Figueroa, Luis Cano e Francisco Fydriszewski

ATHLETICO-PR (Técnico: Paulo Autuori)
Bento; Erick, Pedro Henrique, José Ivaldo e Abner; Richard, Christian e Fernando Canesin; Léo Cittadini, Nikão (Lucho González, aos 44'/2ºT) e Renato Kayzer