#ForçaLonguine: Artilheiro do Santos no Paca, Braz dedicará gol ao meia

Gabriela Brino
Em demonstração de apoio ao Rafael, o camisa 14 do Santos contou ao LANCE! que pretende marcar mais um no estádio Paulo Machado de Carvalho e homenageá-lo

Silêncio momentâneo, gaguejo e cabeça baixa. Essas foram as primeiras reações do zagueiro David Braz ao citar o caso do meia, Rafael Longuine, que perdeu os pais e a tia em um acidente de carro na noite desta segunda-feira. Em apoio ao camisa 17, Braz fará o possível para marcar o seu sétimo gol no Pacaembu para dedicar a Rafael.

- Sei que não vai diminuir a tristeza, mas é para ele saber que estamos junto com ele - começou a desabafar em entrevista ao LANCE!

O veículo da família Longuine colidiu com uma carreta na rodovia BR-376 em Alto no Paraná. Além dos parentes do atleta, o motorista do caminhão também morreu. O jogador foi dispensado por tempo indeterminado.

Querido pelos amigos de profissão, David afirmou que farão o possível para resgatar a alegria do meia aos poucos. Além de citar a importância que Longuine tem no grupo e a forma que ajuda a equipe, mesmo sem atuar.

- Ele merece, vai precisar muito do nosso apoio. É um momento difícil. Sem palavras para ele e para o que aconteceu. Vamos fazer o possível pra trazer essa vitória pra ele. É um cara que traz alegria pro vestiário, dentro de campo... Ele é importante pro grupo em todos os sentidos. Dentro ou fora de campo, mesmo que não venha atuando, traz apoio, é um cara que nos incentiva. É um homem de confiança do professor e de todos nós, jogadores. Vamos fazer o possível pra ajudar ele, apoiar e resgatar a alegria dele aos poucos. Se Deus quiser vamos trazer essa vitória pra ele - explicou de forma chateada.

O técnico Dorival Júnior também demonstrou estar bem abalado durante a entrevista coletiva desta terça-feira com a situação. Além de lembrar os momentos em que os familiares do jogador frequentaram o CT Rei Pelé, o treinador lembrou a importância de Rafael. No entanto, tentou ressaltar o compromisso desta quinta-feira, no jogo contra o Santa Fe, no Pacaembu, às 21h45, pela Libertadores.

- É um ser humano fantástico. Os familiares dele estavam frequentemente no clube. É uma pessoa muito querida pelo grupo. A grande maioria tem relacionamento próximo com ele. É uma tragédia terrível. Todos estamos muito abalados, mas não podemos fugir do compromisso. É obrigação estarmos preparados - explicou o comandante.











E MAIS: