Força máxima ou mistão? Fla precisa controlar os riscos diante do Cruzeiro

Maurício Barbieri assumiu o comando do Flamengo para o início do Brasileirão (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Alvo de discussão interna, Barbieri comanda treino do Fla após queda

Maurício Barbieri assumiu o comando do Flamengo para o início do Brasileirão (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)


Entrar com força máxima e arriscar perder nomes importantes para a partida decisiva pela Copa do Brasil, quarta contra o Grêmio, ou preservar titulares e correr o risco de ver o São Paulo abrir distância na liderança do Brasileirão? A decisão será de Maurício Barbieri, que comanda o Flamengo contra o Cruzeiro, domingo, dias após a dura derrota para o rival mineiro na Copa Libertadores.

A reportagem do LANCE! reuniu alguns dos pontos que devem ser levados em consideração pelo técnico, que passa pelo momento mais delicado desde que assumiu o comando da equipe, em maio, com uma decisão atrás de outra.

O discurso no clube da Gávea, desde o começo da "maratona de agosto" - nove partidas em 29 dias - é de disputar todas as frentes com força máxima, sem hierarquizar as disputas do Campeonato Brasil, Libertadores e Copa do Brasil.

- Nossa prioridade é sempre o próximo jogo. Ir por esse caminho (priorizar um dos três torneios), seria assumir uma inverdade. Temos condições (de disputar todas frentes), o que não quer dizer que vai ser fácil - disse Maurício Barbieri.

RISCO NO BRASILEIRÃO E COPA DO BRASIL

No último sábado, o Flamengo atuou com uma equipe mista, com Réver e Léo Duarte, os zagueiros titulares, sendo preservados, por exemplo. A derrota, na Arena para o Grêmio, tirou o time da liderança. Com um ponto a menos que o São Paulo, o Rubro-Negro recebe o Cruzeiro, às 16h de domingo, no Maracanã.

Na quarta, dia 15, nova decisão contra o Grêmio. Após o empate em 1 a 1 na ida, os clubes se enfrentam no Rio de Janeiro por uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Assim, é preciso colocar "na balança": poupar alguns nomes para a decisão de quarta-feira - e correr o risco do São Paulo abrir distância na liderança - ou entrar com time completo no domingo, para manter-se entre os primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, e expôr os atletas a uma lesão?

ASPECTO FÍSICO E EMOCIONAL



A comissão técnica do Flamengo conta com o auxílio do departamento médico e de fisiologia para avaliar as condições físicas do elenco por meio de exames. Barbieri, em recente entrevista, afirmou que esse é um dos fatores levados em consideração na hora de definir se determinado jogador será ou não poupado. Foi assim contra o Grêmio, no último sábado, e será assim contra o Cruzeiro.

Além do aspecto físico, o clube precisa levar em conta o aspecto emocional. Se não vencer o Cruzeiro no domingo, a equipe chegará ainda mais pressionada para a decisão contra o Grêmio, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil. Na derrota para o adversário mineiro, no Brasileirão, a torcida do Flamengo vaiou o time e alguns jogadores demonstraram nervosismo durante a partida.

PROVAR A FORÇA DO ELENCO

O Flamengo é apontado como um dos elencos mais poderosos do país desde o início do ano. Agora, esta é a oportunidade para tal status ser colocado à prova. Se perdeu nomes importantes para o segundo semestre, a direção foi atrás de reforços como Vitinho, Uribe e Piris da Motta. Ao lado de jogadores experientes como Diego e Everton Ribeiro e mais jovens, como Marlos e Lucas Paquetá, a equipe precisa corresponder em campo e, mesmo com trocas, conquistar bons resultados para o Fla seguir vivo no Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores.



















Leia também