Força do elenco é apontada como determinante para o título do Fluminense

Um jogo no meio de semana extremamente disputado, com uma viagem muito desgastante na ida. Como se não bastasse, os jogadores do Fluminense ainda precisaram encarar outra viagem ainda pior no retorno, com direito a um longo trajeto a bordo de um ônibus. De quebra, a volta do Mato Grosso até o Rio de Janeiro ainda teve uma escala no meio do caminho. Esses foram alguns dos percalços que o Tricolor precisou superar para conquistar neste domingo (05) a Taça Guanabara.

Se o quadro já parecia negativo, o time entrou na decisão sem um dos seus principais jogadores. Gustavo Scarpa não conseguiu se recuperar a tempo de uma lesão sofrida contra o Madureira e o técnico Abel Braga precisou mudar o esquema tático.

Diante de tantas adversidades, fica complicado apontar um herói do título e é exatamente esse o discurso adotado pelos campeões do primeiro turno do campeonato estadual de 2017.

"Todo mundo colaborou. É um trabalho feito em conjunto e um mérito que tem que ser dividido por todos. Sofremos com críticas no ano passado. Deus está nos ajudando com esse título.”, comentou o goleiro Júlio Cesar.

Julio Cesar Fluminense x Flamengo Carioca 05 03 17


(Foto: Nelson Perez / Fluminense FC / Divulgação)

A prova de que a força do elenco fez a diferença a favor do Fluminense foi a presença do volante Douglas e de Gustavo Scarpa no estádio ao lado de seus companheiros. O jovem volante, que ficou de fora por ter sido expulso na semifinal, reconheceu que não poder atuar em um momento decisivo é complicado, mas mesmo assim fez questão de enaltecer a qualidade do grupo.

“É muito ruim ficar de fora, pois estamos trabalhando o ano todo e venho sendo titular em quase todos os jogos. Chegar em uma final e ficar de fora é muito ruim. Mas esse grupo está de parabéns pela união e pode ter certeza que iremos buscar muitos títulos neste ano.”, prometeu Douglas. 

O técnico Abel Braga também reforçou o discurso e lembrou que o grupo buscou trabalhar, mesmo quando retornou do duelo válido pela Copa do Brasil. 

"Eles treinaram depois da viagem por vontade própria. Não sou mentiroso. Onde ia, não prometia nada. Agora, que ia ter alma de guerreiro, ia ter. As dificuldades são sempre grandes mas está resgatada a confiança.", concluiu.