Força do "coletivo" será a arma da Colômbia contra o Brasil, diz Rueda

·2 minuto de leitura
O técnico da Colômbia, Reinaldo Rueda, gesticula durante a partida da fase de grupos da Copa América contra o Peru, no Estádio Olímpico de Goiânia, em 20 de junho de 2021

A Colômbia aposta em seu conjunto para fazer frente à poderosa ofensiva do Brasil nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, pela penúltima rodada do Grupo B da Copa América-2021, afirmou o técnico da seleção colombiana, Reinaldo Rueda, nesta terça.

Desativar o ataque do Brasil, que já marcou sete gols em dois jogos do torneio, "é uma situação coletiva, não só para os homens de fundo, é um grupo onde todos deveriam ter suas responsabilidades", disse o treinador na coletiva de imprensa virtual no Rio.

Rueda, de 64 anos, garantiu que o duelo com a seleção brasileira, às 21h00 (horário de Brasília), no estádio Nilton Santos, é importante pela força do adversário, líder do Grupo B e classificado para as quartas de final desde a segunda rodada.

"Amanhã temos a partida a disputar, sem dúvida o adversário é de grande envergadura. Estão num bom momento, mas são jogos que têm de ser disputados com concentração e intensidade para ficarem na história", afirmou.

Os 'cafeteros' são os vice-líderes (quatro pontos) no grupo e vão encerrar a participação na fase de grupos contra o Brasil porque na última rodada - domingo - eles descansam. Com um empate se classifica, mas uma derrota pode deixá-los de fora caso haja uma combinação de resultados nos jogos restantes.

Embora não tenha dado nenhuma pista sobre a escalação, o treinador indicou que fará algumas modificações em relação ao time titular que perdeu por 2 a 1 para o Peru no domingo em Goiânia, a primeira derrota desde que assumiu o comando da Colômbia, em janeiro, pela segunda vez, após a tentativa fracassada de se classificar para a Copa do Mundo de 2006 na Alemanha.

"Todos os jogadores estão se recuperando fisicamente. Hoje fizemos o último treino, estavam todos bem. Nas próximas horas devo definir a escalação, vendo como os jogadores se sentem", disse.

No entanto, ele reconheceu que o destaque após as ausências de James Rodríguez e Falcao García, o meia Juan Guillermo Cuadrado, "sentiu" nos últimos dias o esforço dos jogos recentes.

"Naturalmente, ele sentiu o esforço dos jogos anteriores naquele jogo contra o Peru e espero que nestas próximas horas ele atinja o seu nível para que possamos tê-lo à nossa disposição", afirmou.

raa/ma/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos