Foi ou não foi? Final do Mineiro entre Atlético e América é marcada por polêmica - veja

·2 minuto de leitura

Dia de decisão em Minas Gerais.
Dia de polêmica de arbitragem, para variar.

Na tarde deste sábado (22), Atlético-MG e América-MG se enfrentaram no Mineirão para o segundo e derradeiro jogo da final do Estadual. Após o empate sem gols no jogo de ida, o Coelho entrou em campo sabendo que precisava de gols para ser campeão, já que seu rival teve a melhor campanha da fase classificatória e, por isso, faturaria o título com um novo 0 a 0.

Durante os 90 minutos de jogo, o América demonstrou mais ímpeto, mas esbarrou em suas próprias limitações na hora de concluir a gol. Rodolfo, artilheiro da competição, teve a chance de ouro de ir às redes e colocar o Coelho com uma mão na taça, mas mandou no travessão uma cobrança de pênalti em infração questionável marcada pelo árbitro da partida, Felipe Fernandes de Lima.

Felipe Fernandes de Lima teve atuação muito ruim | Alexandre Schneider/Getty Images
Felipe Fernandes de Lima teve atuação muito ruim | Alexandre Schneider/Getty Images

Se a primeira penalidade assinalada gerou discussão por parecer ter sido lance normal, aos 49' do segundo tempo, Felipe Fernandes de Lima (MG) voltou a ficar no 'olho do furacão': sequer foi checar na cabine em campo um empurrão claro de Igor Rabello em Bauermann, lance interpretado de forma unânime pelos comentaristas de arbitragem como penalidade. A não-marcação da falta gerou revolta nos jogadores do Coelho e, ao final da partida, o presidente Alencar da Silveira chegou a invadir o gramado para tirar satisfações com o juiz. Veja o lance:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em entrevista concedida após o apito final (via ge), Alê externou sua frustração com o fato do árbitro de campo sequer ter solicitado a revisão do lance: "O que falaram pra gente foi o que todo mundo de fora disse que foi pênalti. Mas aqui dentro nem sequer foi revisado. No mínimo, tinha que ser revisado. Mais uma vez é ele que está no meio da confusão", reclamou.

Com o novo 0 a 0, o Atlético-MG selou a 46ª conquista estadual de sua história, sendo o segundo título erguido de forma consecutiva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos