Foi fácil para o Corinthians vencer o São Paulo

Rodriguinho (segundo da direita para a esquerda), jogador do Corinthians, comemora seu gol durante a primeira partida contra o São Paulo FC, válida pela semifinal do Campeonato Paulista 2017.

O sistema defensivo do Corinthians, muito bem montado por Fábio Carille, é o grande trunfo da equipe nestes primeiros meses de temporada. A linha de zagueiros e laterais é competente e os volantes trabalham bem demais, tendo ajuda de toda a equipe sem a bola. É um conjunto que funciona para impedir o adversário de incomodar o goleiro Cássio.

O São Paulo é o oposto disso. Com falhas clamorosas no sistema defensivo, a equipe só consegue se sair bem quando o ataque funciona. O problema é que o ataque apenas funciona contra adversários fracos. Quando encontra times organizados, casos do Cruzeiro, na Copa do Brasil, na quarta-feira passada e do Corinthians, neste domingo, a situação desanda e o elenco vira presa fácil.

Assim, foi bastante tranquilo para o Alvinegro vencer no Morumbi por 2 a 0. Fez os gols no primeiro tempo em jogadas com grande liberdade, afinal, o São Paulo parece não conhecer a suas limitações. Rogério Ceni comete erros primários ao fazer questão de ficar com a bola, mas o elenco não sabe o que fazer com ela, e quando perde o domínio no ataque oferece ao adversário espaços demais. É a equação perfeita para derrotas em partidas decisivas e eliminações em competições de mata-mata, situações que ano após ano estão se tornando corriqueiras em um clube mal administrado e com elencos frágeis.

O Corinthians só não vai para a final do Paulistão em caso de uma hecatombe futebolística.