Fluminense x Vasco: último jogo antes da paralisação ocorreria novamente nesta quarta. Com muitas mudanças

Felippe Rocha e Fernanda Teixeira
LANCE!


Não fosse a paralisação imposta pela pandemia do COVID-19, Fluminense e Vasco fariam o primeiro clássico carioca do Campeonato Brasileiro 2020 nesta quarta-feira. Foi também este jogo o último disputado no Estado do Rio antes da pausa no futebol brasileiro. Naquele confronto, dia 15 de março, pela Taça Rio, houve vitória tricolor por 2 a 0. Mas ocorreram mudanças significativas de ambos os lados deste então.

Do lado do Flu, a principal mudança foi o retorno do ídolo Fred. A disputa no ataque, que já vinha acirrada, ganhou um concorrente de peso. O time de Odair Hellmann jogou com três atacantes, e teve como titulares no setor Marcos Paulo, Evanilson e Wellington Silva. O peruano Fernando Pacheco entrou em campo e fez o segundo gol da vitória, o primeiro dele com a camisa do clube.

Caso o jogo fosse realizado na data prevista, o Tricolor também teria o retorno de três dos quatro lesionados do elenco, que ficaram fora da partida contra o Cruz-Maltino, disputada com portões fechados, no Maracanã. O zagueiro Digão está recuperado de um edema na coxa esquerda; o atacante Miguel, de uma lesão na coxa direita; e o lateral-direito Gilberto superou um problema no músculo anterior da coxa esquerda. O zagueiro Frazan, após cirurgia no joelho direito, deve retornar em agosto.

No meio-campo, Odair vinha optando por Nenê em detrimento de Ganso para a criação das jogadas. Aos 38 anos, o camisa 77 teve um dos melhores inícios de temporada da carreira e era o artilheiro da equipe com nove gols.

Provável escalação:
Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Egídio; Hudson, Yago e Nenê; Wellington Silva, Fred e Marcos Paulo (Fernando Pacheco).

Do lado vascaíno, parecia nítido para muitos que as competições seriam paralisadas, mas o então técnico Abel Braga poupou a maioria dos titulares para aquele clássico de domingo. Na quarta-feira seguinte, o Vasco teria que recuperar a derrota sofrida para o Goiás, em São Januário, pela Copa do Brasil, para seguir na competição.

Acabou que o Vasco perdeu, Abel Braga pediu demissão e Ramon Menezes, então auxiliar-técnico da comissão permanente, assumiu o comando técnico da equipe. Do time ideal até então, Talles Magno estava com o pé esquerdo fraturado, mas mostrou evolução nos treinos à distância. De modo que seria possível imaginá-lo à disposição para a partida deste 10 de junho.

Diferentemente do rival, o Vasco voltou a ter treinos presenciais. Em São Januário, preservando a distância segura em tempos de pandemia, o elenco está na segunda semana de atividades.

Apesar de manter contato com os jogadores, Ramon Menezes ainda não conduziu trabalhos táticos. Só a partir desta semana o elenco estará completo, provavelmente. De todo modo, ele deu dicas, nas últimas semanas, de que pode mudar a defesa e atender um pedido antigo da torcida: fazer de Ricardo Graça titular ao lado de Leandro Castan. Já teria também Martín Benítez mais entrosado e em melhor condição física. Por outro lado, a saída de Marrony para o Atlético-MG é iminente. Talvez, em meio à negociação, ele nem estivesse relacionado para o jogo, embora tenha condições físicas para tal.

Provável escalação:
Fernando Miguel, Yago Pikachu, Ricardo Graça (Werley) e Henrique; Andrey, Bruno Gomes (Raul) e Guarín; Benítez, Cano e Talles Magno (Marrony).



















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também