Fluminense vive dilema nas laterais e tenta resolver problemas antes da abertura da janela

Yago Felipe virou lateral-direito do Fluminense com Fernando Diniz (Foto: Mailson Santana / Fluminense FC)


O Fluminense está prestes a entrar no sexto mês do ano e já teve diversos altos e baixos na tentativa de solucionar problemas. Seja na defesa, no meio ou no ataque, a maioria deles teve solução em algum momento. O único que persiste em todas as partidas até agora é nas laterais. Usados primeiro como pontas sob o comando de Abel Braga, as cinco opções do time para a direita e a esquerda ainda não conseguiram inspirar confiança no torcedor.

Todos eles já foram usados em diferentes situações. Do lado esquerdo, Cris Silva era o escolhido de Abel para o esquema com três zagueiros, com Mário Pineida como substituto imediato e Marlon esquecido na maior parte do tempo. Cristiano, ex-jogador do Sheriff, da Moldávia, custou cerca de R$ 9 milhões aos cofres do Fluminense. Por isso, chegou com muita pressão e ainda não conseguiu corresponder à altura.

Pineida, emprestado pelo Barcelona de Guayaquil (EQU), tem sido o escolhido de Diniz, mas vem sendo bastante criticado pelas atuações ruins. No último jogo, foi poupado e Marlon ganhou apenas a segunda chance com o novo treinador. Depois de um 2021 com alternâncias entre Egídio e Danilo Barcelos, 2022 se encaminha para a mesma situação.

Veja a tabela da Série A do Brasileirão

​Na direita, Calegari e Samuel Xavier se alternavam com Abel, mas a chegada de Fernando Diniz fez com que Yago Felipe passasse a ser o nome do setor. O jovem da base nem chegou a ser testado como titular e o veterano da posição iniciou as duas primeiras partidas (Junior Barranquilla e Palmeiras), mas o atual titular passou a ocupar a posição nos últimos jogos. Ele iniciou contra Athletico-PR, Unión Santa Fe e Fortaleza, mas a ideia não é que seja para sempre.

- A princípio antes do rodízio é tentar colocar a equipe que tem mais chances de vencer. Meu primeiro critério é esse. Foi um jeito que achei melhor, os jogadores corresponderam. Nada impede que os laterais voltem a atuar, mas neste momento foi a melhor maneira. O Yago em princípio estou colocando só nesse momento, mas não é para sempre. Pode acontecer, depende de como o time e o jogador se comportarem - disse Diniz.

A lateral-direita, inclusive, é uma das prioridades do Fluminense na próxima janela de transferências, que abre dia 18 de julho. O clube já sabia no início da temporada que poderia ter problemas, mas via outros setores como maior prioridade. Por isso, além de um atacante de lado e um centroavante, o Tricolor já monitora nomes para a posição.

Samuel Xavier tem 15 jogos na temporada, 13 como titular, e uma assistência. Já Calegari tem 19 partidas, iniciando 15 delas, um gol e uma assistência. Pineida, que pode atuar dos dois lados do campo, entrou em campo 19 vezes, sendo titular 13 vezes. Ele deu um passe para gol. Cris Silva tem 20 jogos, 16 deles como titular, ainda não deu passes decisivos, mas marcou um gol na Sul-Americana. Por fim, Marlon é quem foi menos utilizado, com sete jogos. Deu uma assistência e foi titular quatro vezes.

Com a missão de resolver os problemas nas laterais e ainda operar um milagre pela classificação na Sul-Americana, o Fluminense vai para a Bolívia nesta quarta-feira, onde enfrenta o Oriente Petrolero (BOL) na quinta, às 21h30 (de Brasília). O Tricolor precisa vencer por seis gols de diferença e ainda torcer por um empate entre Junior Barranquilla (COL) e Unión Santa Fe (ARG). No domingo, terá ainda o Fla-Flu no Maracanã.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos