Fluminense vence Cerro Porteño (2-0) no Paraguai na ida das oitavas da Libertadores

·3 minuto de leitura
Nenê comemora após marcar um gol para o Fluminense contra o Cerro Porteño nas oitavas de final da Libertadores em 13 de julho de 2021 em Assunção

O Fluminense venceu o paraguaio Cerro Porteño por 2 a 0 nesta terça-feira, em Assunção, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores-2021.

Os gols do time carioca foram marcados no segundo tempo, por Nenê aos 48 minutos e Egídio aos 60.

O tricolor mostrou sua força desde o início da partida e teve chances de marcar por meio de Nenê e do atacante Caio Paulista nos primeiros minutos. Nenê chutou na trave aos 29 minutos.

O Cerro equilibrou o jogo apenas nos últimos minutos da primeira etapa. Um dos ataques terminou com um gol do atacante argentino Mauro Boselli aos 40 minutos, mas foi anulado pelo árbitro argentino Facundo Tello por impedimento, confirmado pelo VAR apesar dos protestos dos jogadores do time da casa.

No início do segundo tempo, o Fluminense surpreendeu o "Ciclón de Barrio Obrero" com o gol de Nenê, que chutou após receber um passe de Caio Paulista (48). O jogador finalizou com um chute cruzado de pé esquerdo.

Até esse momento, o Cerro era quem tinha a iniciativa de buscar abrir o placar.

Impulsionada pelo gol sofrido, a equipe comandada por 'Chiqui' Arce partiu para o ataque e Robert Morales quase empatou em um belo chute que foi defendido pelo goleiro Marcos Felipe.

- Egídio decisivo -

Porém, o segundo gol do time visitante determinou o rumo do jogo. Em um rápido contra-ataque a bola ficou com Nenê na ponta esquerda, que tocou para Caio Paulista dominar na área. Quando ia ajeitar foi desarmado, mas a bola sobrou para Egídio. O jogador, que raramente é protagonista, mais uma vez apareceu em um momento decisivo.

Egídio veio de trás aproveitando a sobra no lado esquerdo e soltou a bomba também de canhota, desviando na trave e entrando no gol, sem chances para o goleiro do Cerro, Jean Fernandes.

Todo o lance aconteceu quando o Cerro voltava a assustar com suas investidas.

Os paraguaios acusaram o golpe e não reagiram com a energia necessária para reverter a desvantagem fazendo valer o mando de campo. Já os brasileiros até criaram mais chances que poderiam ter aumentado o placar a seu favor.

Em uma de suas investidas na área adversária, o atacante uruguaio Abel Hernández cabeceou do meio da área bem próximo à trave direita do gol defendido pelo brasileiro do Cerro, Fernandes, mas a bola foi para fora. A assistência, como havia acontecido na maior parte do jogo, partiu do eficiente Egídio, com um cruzamento na área após uma cobrança de escanteio.

O técnico do Cerro demorou a colocar em campo atacantes com mais fôlego depois dos 80 minutos, para buscar os gols de que precisava e assim tentar diminuir a desvantagem e até empatar.

No último esforço da equipe, o argentino Mauro Boselli finalizou com uma cabeçada do meio da área que acabou subindo demais após uma assistência do meia Claudio Aquino a partir de uma cobrança de falta.

A partida de volta será disputada no Maracanã, no Rio de Janeiro, na próxima terça-feira e o Fluminense deverá entrar em campo mais tranquilo, podendo perder até por um gol de diferença para se classificar.

hro/cl/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos