Fluminense vence, afunda o Goiás na zona de rebaixamento e volta ao G6 do Brasileirão

Luiza Sá
·3 minuto de leitura


O Fluminense fez um primeiro tempo praticamente impecável e precisou apenas administrar a parte final para garantir a vitória por 3 a 0 contra o Goiás, neste domingo, no Estádio Nilton Santos. Os gols da partida, válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, foram marcados por Nino e Martinelli, duas vezes. Enquanto o Tricolor cresce na briga por uma vaga na Libertadores, o Alviverde se afunda cada vez mais na zona de rebaixamento.

> Carioca 2021 perto do SBT: Lembre grandes eventos esportivos que já passaram fora da Globo

O resultado tira o Flu da sétima posição e coloca em quinto, com 53 pontos. A equipe ainda aguarda o resultado do Palmeiras, que pode ultrapassar caso vença. São cinco pontos de desvantagem para o São Paulo, em quarto, local que dá a classificação direta à Liberta. Já o time de Goiânia fica em 18º, com 29 pontos. O Sport, primeiro time fora do Z4, tem 35.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

INTENSIDADE

O confronto começou intenso e com oportunidades para os dois lados. Pelos visitantes, Shaylon e Fernandão levaram perigo ao gol de Marcos Felipe, mas não aproveitaram. Foi o Flu, porém, quem teve a melhor sorte no primeiro tempo. Depois de uma boa oportunidade com bola trabalhada na área, Nino abriu o placar aos 16 minutos de cabeça, após escanteio de Nenê. O Goiás sentiu o gol e o Fluminense continuou fazendo pressão, chegando outras três vezes antes de, aos 25 minutos, ampliar o marcador. Após novo escanteio, a bola sobrou fora da área e Martinelli deu um chutaço. A bola explodiu na trave, bateu nas costas do goleiro Tadeu e entrou.

CONFIANÇA

A partir daí só deu Fluminense. Aproveitando os espaços dados pelo Goiás e a confiança elevada, o time de Marcão não teve medo de atacar. Nenê colocou uma bola na trave após cobrança de falta, Fred forçou defesa de Tadeu e Martinelli, empolgado, fez o terceiro do Tricolor aos 36 minutos, invadindo a área livre e contando com novo desvio para fazer mais um, seu segundo no jogo e como profissional. Ainda deu tempo de Nenê quase marcar um gol de trás do meio de campo, aproveitando que Tadeu foi ao ataque bater falta para o Alviverde. A bola foi na direção do gol, mas subiu demais, batendo no travessão.

MAIS LENTO

Depois de um primeiro tempo mais acelerado, pelo menos pela parte do Fluminense, a segunda etapa deu uma esfriada. Mas o Tricolor continuou chegando, primeiro com Lucca, depois com Luiz Henrique. Como o Flu voltou armado para o contra-ataque, para se aproveitar da vantagem construída, o Goiás passou mais tempo com a bola no pé, mas teve dificuldades de chegar com qualidade à frente.

SEM EMOÇÃO


Com a partida controlada, o Fluminense apenas administrou a vantagem na parte final do confronto. Mesmo com as substituições, o Tricolor preferiu não continuar se lançando à frente, enquanto o Goiás mostrou enorme dificuldade em buscar espaços e construir jogadas. Méritos ao Tricolor, que não permitiu que o adversário se empolgasse com qualquer chegada.

E AGORA?

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Fluminense viaja para enfrentar o Bahia, brigando contra o rebaixamento. Já o Goiás receberá o Atlético-MG, concorrente pelo título. As duas partidas são na quarta-feira, às 21h30.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X GOIÁS

Data/Hora:
31/01/2021, às 20h30
Local: Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Raphael Claus (FIFA - SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (FIFA - SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Árbitro de vídeo: Marcio Henrique de Gois (SP)

Cartões amarelos: Egídio (FLU), Vinicius, Heron (GOI)
Cartões vermelhos: -
Gols: Nino (16'/1ºT) (1-0), Matinelli (25 '/1ºT) (2-0) e (36'/1ºT) (3-0)

FLUMINENSE: Marcos Felipe, Calegari (Igor Julião - 35'/2ºT), Nino, Luccas Claro e Egídio; Martinelli (André - 35'/2ºT), Hudson e Nenê; Luiz Henrique (Caio Paulista - 26'/2ºT), Lucca (Fernando Pacheco - 26'/2ºT) e Fred (Samuel - 44'/2ºT). Técnico: Marcão.

GOIÁS: Tadeu; Taylon (Índio - intervalo), Fábio Sanches, David Duarte (Iago Mendonça - 44'/2ºT) e Heron; Shaylon, Ariel Cabral (Daniel de Pauli - intervalo) e Henrique; Rafael Moura, Fernandão (Miguel Figueira - 21'/2ºT) e Vinicius (Douglas Baggio - 28'/2ºT). Técnico: Glauber Ramos.