Fluminense vê vitória contra o Botafogo como resposta aos críticos

O Fluminense já está garantido nas semifinais do Campeonato Carioca por ter conquistado o título da Taça Guanabara. O fato fez com que os jogadores fossem criticados por um suposto desinteresse na Taça Rio, segundo turno do Estadual. Porém, na visão dos tricolores, o triunfo por 3 a 2 sobre o Botafogo na noite de quinta-feira foi a prova viva de que o empenho não está sendo deixado de lado.

Depois de ir para o intervalo perdendo por 2 a 0, deixar o campo vaiado pelos torcedores e ver o técnico Abel Braga dar uma bronca generealizada no vestiário, o Fluminense voltou avassalador para o segundo tempo e conseguiu a virada.

“Foi muito importante a vitória sobre o Botafogo, pois mostrou que a nossa equipe está correndo sim e buscando o resultado. Nós começamos perdendo e não ficamos acomodados. Só nos demos por satisfeitos quando o jogo acabou e a virada foi concretizada. Portanto, podem acreditar que o Fluminense também pretende brigar pelo título da Taça Rio, mas a temporada está complicada e muitas vezes teremos dificuldades”, disse o zagueiro Henrique.

O zagueiro Renato Chaves foi além. “Ninguém está de sacanagem em campo. Se nós erramos em algum momento foi tentando acertar. O jogo contra o Botafogo foi importante para mostrar que a gente tem condições de lutar também pelo título da Taça Rio e que não vamos desistir disso”, disse o defensor.

O Fluminense volta a campo pela Taça Rio no próximo domingo, às 19 horas (de Brasília), quando enfrenta o Macaé no Estádio Giulitte Coutinho, em Mesquita, pela quarta rodada. O time para esta partida será definido por Abel Braga somente no treino deste sábado pela manhã.

O técnico segue sem poder contar com o volante equatoriano Jeferson Orejuela, que está servindo a sua seleção nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia. É possível que alguns titulares sejam preservados. Após a atividade deste sábado, começa o período de concentração para o choque contra os macaenses.