Fluminense sente maratona e tem média de menos de três dias entre jogos desde o início da temporada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Fluminense estreia na Copa do Brasil diante do Vila Nova (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


O Fluminense fez mais uma partida de pouquíssima inspiração na temporada, mas foi quem buscou mais o gol e acabou sendo premiado no fim com um lance contra de Paulão para vencer o Cuiabá por 1 a 0 na Arena Pantanal. A partida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro evidenciou alguns fatores como a falta de poder ofensivo, a lentidão do time, mas principalmente o desgaste que já em abril começa a pesar para um grupo que terá uma longa sequência pela frente.

Desde a abertura da temporada em 27 de janeiro contra o Bangu, o Flu viveu praticamente todas as semanas cheias, com média de 2,6 dias de descanso entre as partidas. O máximo de tempo sem jogos foi de cinco dias entre as duas semifinais contra o Botafogo, quando houve uma Data Fifa com partida da Seleção Brasileira no Maracanã, além do intervalo de quatro dias entre a eliminação para o Olimpia (PAR) e o primeiro confronto com o rival alvinegro no Estadual.

Veja a tabela da Série A do Brasileirão

Mesmo que a temporada esteja apenas no início, essa maratona não está nem perto de terminar. A previsão é que a primeira semana livre seja entre 19 e 26 de junho, na 13ª e 14ª rodadas do Brasileirão. Isso porque, mesmo que o Fluminense avance para as oitavas da Sul-Americana, as datas divulgadas para a Conmebol na ida são 28 a 30 de junho e 5 a 7 de julho para a volta.

Por isso, Abel Braga admitiu que errou na derrota por 3 a 0 para o Junior Barranquilla na Colômbia e decidiu poupar diversos jogadores na vitória sobre o Cuiabá. André e David Braz nem foram para o banco de reservas. Germán Cano, o mais utilizado na temporada, entrou apenas no segundo tempo para tentar salvar a péssima atuação. Calegari, Nino, Manoel, Ganso e Arias foram os que permaneceram na equipe.

ATUAÇÃO FRACA

Mas a quantidade de partidas ao longo da temporada não exime o time das atuações fraquíssimas nas últimas partidas. Desta vez, nenhum dos dois times parecia ter disposição para jogar e, por isso, foi uma das piores partidas de 2022. Com alguns reservas, o Fluminense perdeu velocidade e conexão entre os setores. A defesa até foi bem diante de um Cuiabá que só foi finalizar pela primeira e única vez no gol aos 41 minutos do segundo tempo. Mas o ataque novamente sofreu.

Germán Cano segue no período de maior seca no Fluminense, enquanto Fred já chega a 14 partidas sem marcar. Abel Braga até avaliou a importância do papel do camisa 9 taticamente, mas o setor ofensivo operou mal ao longo dos 90 minutos, melhorando apenas com as alterações.

Com o resultado, o Fluminense dá um salto para a segunda posição na tabela, com quatro pontos. A posição ainda pode mudar com o decorrer da rodada. Agora, o Flu volta as atenções para a Copa do Brasil. Na terça-feira, o Tricolor recebe o Vila Nova no Maracanã, às 21h30.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos