Fluminense perde após sete jogos de invencibilidade no Brasileiro e vê G6 mais distante

·2 minuto de leitura


A sequência vitoriosa do Fluminense chegou ao fim após sete rodadas do Brasileiro. O time, que não havia perdido desde que Marcão assumiu, foi neutralizado pela equipe do Fortaleza na última quarta-feira e se distanciou da zona de classificação para a Libertadores em um momento crucial do campeonato.

Com 14 rodadas pela frente, o Fluminense precisa chegar a pelo menos 59 pontos para sonhar com o torneio continental no ano que vem. Nos últimos dez anos, o sexto colocado com menor pontuação acumulou este número, incluindo no ano passado. Antes encostado no G6, a derrota trouxe um drama à epopeia tricolor pela Glória Eterna.

A equipe, de forma geral, teve uma atuação aquém do esperado. Enquanto as falhas defensivas deram oportunidade para os dois gols do adversário, Fred não conseguiu dar conta do recado em seu reencontro com a torcida e desperdiçou três chances de gol.

+ Fluminense tem 13,8% de chances de Libertadores e deve precisar de mais 34 pontos para sonhar com o G6

No entanto, a opção tática foi o fator predominante para o resultado: Ao passo em que Marcão repetiu o esquema que vinha dando certo, Vojvoda concentrou o jogo no meio do campo e tinha um time mais apto para oportunizar bolas paradas.

- Foi um jogo muito pegado, o treinador adversário até abriu mão do que vinha fazendo e colocou uma equipe muito competitiva. Não foi uma grande atuação das duas equipes, que fizeram marcação forte, e eles tiveram aproveitamento da bola parada. Em alguns momentos, a gente esteve até melhor, trocando a bola, mas a marcação deles estava muito forte e não conseguimos. É mérito deles, então parabéns à equipe, que aproveitou as bolas paradas. A nossa equipe precisa se reorganizar porque sábado já temos outra batalha. O que aconteceu hoje não é bom, mas precisamos pensar na próxima rodada - disse o técnico do Fluminense em entrevista coletiva.

As substituições também não ocorreram como o planejado. Gabriel Teixeira entrou no lugar de Caio Paulista, mas em 10 minutos saiu de campo após sentir a coxa esquerda. Nonato e Yago Felipe também precisaram sair por motivos físicos, fazendo com que o técnico precisasse improvisar Calegari no meio.

Sem outro ponta para substituir o ataque, o técnico também trocou Luiz Henrique por Bobadilla e manteve dois centroavantes até o final. Lucca acabou entrando no lugar de Gabriel Teixeira, mas só rendeu no último minuto, quando assustou Felipe Alves.

Considerando o número de rodadas e a projeção da última década, ainda é possível lutar pela classificação, mas não será fácil. Em todo o segundo turno, o Fluminense precisa alcançar 11 vitórias e um empate, ou nove vitórias e sete empates, ou oito vitórias e 10 empates, para chegar à métrica dos outro anos.

Com o resultado, o Fluminense ficou na nona colocação da competição. Neste sábado, o Tricolor recebe o Atlético-GO no Maracanã, às 16h30, em jogo válido pela 25ª rodada do Brasileiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos