Fluminense faz só três pontos contra equipes da parte de baixo e se complica na própria irregularidade

·2 min de leitura


Há algumas partidas que equipes que estão brigando pela parte de cima da tabela entendem ser "obrigação" vencer. No caso do Fluminense, em busca de uma vaga na próxima Libertadores, esse tipo de jogo é diante dos times que lutam contra o rebaixamento. No entanto, o que se viu na atual sequência do Campeonato Brasileiro justamente contra esses adversários foram três pontos em 12 disputados e uma pressão em franca ascensão na reta final da temporada.

A derrota para o Grêmio por 1 a 0 em Porto Alegre foi só mais uma representação de como o Flu tem se afundado pela própria irregularidade. Se fez uma partida quase impecável diante do rival Flamengo, o time de Marcão não consegue mostrar um futebol minimamente convincente talvez desde a vitória sobre o São Paulo, em setembro. Na verdade, analisando a temporada, as atuações ruins são regra e não exceção.

Veja a tabela do Brasileirão

​Desde o Fla-Flu, o Fluminense foi dominado pelo Santos na Vila Belmiro, não apresentou nada diante do Ceará no Castelão, venceu com gol no último suspiro após jogo pouco inspirado diante do Sport e terminou perdendo para o Grêmio jogando mal. Agora, a sequência fica pior, com confrontos contra o Palmeiras, um dos melhores times do país, Juventude, América-MG, Internacional, que é adversário direto, o líder Atlético-MG e a Chapecoense na última rodada. Os números até aqui tem sido piores que o do primeiro turno, o que liga um sinal de alerta.

- O Brasileirão é o campeonato mais difícil do mundo. Vimos o jogo do rival (Flamengo) ontem e percebemos a dificuldade, perderam pontos para a Chapecoense, um dos milionários do campeonato. O Fluminense está em oitavo, seria obrigação ganhar e olhamos para isso, mas é um jogo muito igual, cada partida é uma história. Trabalhamos para buscar as vitórias e queremos que elas apareçam independente de qual equipe seja - analisou Marcão em entrevista coletiva.

Mais de um motivo pode explicar a dificuldade do Fluminense em produzir bem, mas talvez o principal deles seja pela queda de rendimento de jogadores importantes. O zagueiro Nino, por exemplo, teve talvez a pior atuação com a camisa tricolor, errando tudo na Arena do Grêmio. Caio Paulista, essencial na primeira parte da temporada, nunca mais repetiu os bons jogos desde que retornou de lesão. Yago Felipe e Martinelli, antes essenciais, acumulam apresentações ruins.

Sem margem para erro, o Flu se vê esperando que o máximo de vagas para a Libertadores se abra para continuar mantendo o sonho vivo. O Corinthians, em sexto, tem 47 pontos contra 42 do Fluminense, atual oitavo colocado. O Internacional tem 44. As duas equipes ainda jogam nesta 31ª rodada. O Tricolor volta a entrar em campo no domingo, às 18h15, contra o Palmeiras, no Maracanã.


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos