Fluminense Campeão! Vitória sobre Flamengo na Taça Guanabara rende 230% de lucro

Douglas Nunes
Final do 1º turno do estadual rende boas cifras com show de bolas na rede Depois de muita confusão nos bastidores, com a indefinição de se teria torcida ou não, a bola rolou na final da Taça Guanabara e os ganhos com a partida entre Flamengo e Fluminense, no Engenhão, foram enormes. Só o empate de 3 a 3 no tempo normal rendeu R$ 3,30 em cada real, segundo dados do Bet365, mas estas não foram as únicas cifras que garantiram a festa dos investidores. Quem apontou que o duelo teria no mínimo quatro bolas na rede no primeiro tempo recebeu R$ 26,00.

Final do 1º turno do estadual rende boas cifras com show de bolas na rede

Depois de muita confusão nos bastidores, com a indefinição de se teria torcida ou não, a bola rolou na final da Taça Guanabara e os ganhos com a partida entre Flamengo e Fluminense, no Engenhão, foram enormes. Só o empate de 3 a 3 no tempo normal rendeu R$ 3,30 em cada real, segundo dados do Bet365, mas estas não foram as únicas cifras que garantiram a festa dos investidores.

Quem apontou que o duelo teria no mínimo quatro bolas na rede no primeiro tempo recebeu R$ 26,00. O feito não era nada difícil de imaginar de acordo com o que tínhamos visto dos dois ataques até aqui na temporada.

Começo eletrizante

Quem chegou atrasado perdeu muita coisa neste clássico. Logo com cinco minutos de jogo, Wellington Silva puxou contra-ataque, arrancando do campo de defesa, passou com facilidade por Pará e chutou na saída de Muralha para fazer 1 a 0. A resposta veio logo na sequência: depois de cruzamento de Mancuello, Guerrero ganhou na disputa com o goleiro Júlio César e após escorada de Rafael Vaz, Arão completou para empatar, aos nove minutos. Nesta altura, quem investiu que os dois times marcavam já faturava 75% de lucro, mas ainda tinha muito para acontecer.

Ainda aos 24 da primeira etapa veio a virada rubro-negra. Pará recebeu de Diego na ponta direita e cruzou para Guerrero. O Peruano cabeceou e Júlio César espalmou, mas Everton apareceu para completar e fazer 2 a 1. Mesmo com a vantagem, o Flamengo seguia com mais posse de bola, mas acabou deixando a defesa exposta. O gol de empate veio depois de bobeada de Guerrero na área. Após batida de escanteio, o atacante colocou a mão na bola e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Henrique Dourado cobrou no canto e deixou tudo igual. Aos 40 minutos foi a vez de, enfim, o tricolor aproveitar o buraco da defesa adversária. Wellington Silva, que fez grande partida, viu Lucas entrar sozinho na área e deu um belo passe para o lateral, que só tirou de Muralha e fez o terceiro.

Segundo tempo morno, mas que deixou bolso cheio

É mais do que normal ter um segundo tempo morno após uma primeira etapa eletrizante. Foi o que aconteceu no Estádio Nilson Santos. Com a vantagem, o Fluminense passou a se proteger e buscar os contra-ataques, principalmente com Richarlison e Wellington. Do outro lado, o Flamengo consciente dos erros dos primeiros 45 minutos evitava se expor demais. Precisando de um gol, Zé Ricardo começou a mexer no time, tirando Mancuello, Arão e Trauco, e colocando Gabriel, Berrío e Vizeu.

Destes, o que teve melhor rendimento foi o colombiano. O jogador incomodou muito a defesa adversária com sua velocidade, mas acabou pecando nas finalizações. Por sorte ou competência, o fato é que o rubro-negro chegou ao gol de empate. Aos 39 minutos, a bola sobrou com Pará no bico da área e o lateral foi derrubado. Na cobrança de falta, Guerrero bateu com categoria e deixou tudo igual.

Depois disso, tudo ficou completamente aberto e os clubes até tiveram chances de marcar o quarto, mas faltou tranquilidade nas jogadas. Sem mais nenhuma bola na rede, quem apontou o placar exato de 3 a 3 saiu com sorriso de orelha a orelha, com retorno de inacreditáveis R$67,00 em cada real. Apesar de menos extraordinário, o lucro para o investimento que o duelo teria seis bolas na rede também deu motivos para sorrir, com pagamento de R$ 21,00. O número elevado de gols confirmou uma rotina deste clássico, que teve no mínimo três gols em seis dos últimos sete encontros. Quem foi mais cauteloso e preferiu investir apenas que esta margem seria alcançada não se arrependeu e saiu com R$ 2,25.  

Flu leva a melhor nos pênaltis

Com tudo igual no tempo normal, a decisão foi para as cobranças de pênaltis. Apesar de ter levado o gol de empate nos minutos finais, o tricolor não sentiu o peso e teve 100% de aproveitamento nas cobranças, com Lucas, Henrique, Marquinho e Marcos Júnior. Pelo Flamengo, Diego e Guerrero até anotaram os seus, mas Rever e Rafael Vaz desperdiçaram suas oportunidades e o título ficou com o Fluminense. A conquista garantiu R$ 2,75 em cada real para quem investiu que o triunfo aconteceria no tempo normal ou nas penalidades. Foi a 10ª vez que o clube das Laranjeiras venceu a Taça Guanabara – a última havia sido em 2012.