Flu perde para o líder Palmeiras com gol contra de Manoel e mantém escrita de nunca ter pontuado no Allianz Parque

·3 minuto de leitura

O Fluminense manteve na noite deste sábado a escrita de nunca ter vencido – ou sequer pontuado – no Allianz Parque, casa do Palmeiras. Num jogo equilibrado, muito disputado, mas com poucas chances claras de gol, o Flu até fazia uma partida segura e conseguia levar perigo ao adversário quando chegava à frente, mas caiu de produção na segunda etapa, e foi justamente numa falha coletiva da defesa tricolor que o líder do Campeonato Brasileiro conseguiu fazer o único e decisivo gol da partida, contra, de Manoel.

Durante todo o jogo, as duas equipes procuraram ter a bola e atacar. No primeiro tempo, o Palmeiras, que jogava em casa, conseguia ditar o jogo na maior parte do tempo, mas, pragmático, não finalizava, tampouco conseguia criar chances reais ou incomodar a defesa do Fluminense, muito bem postada e resguardada pelo volante Yago Felipe, que no geral fez uma boa partida.

Aproveitando-se do espaço que o verdão deixava lá atrás, a equipe carioca conseguiu por vezes chegar com perigo e criou, inclusive, as melhores oportunidades de gol na primeira etapa. Logo aos seis minutos, após uma bela triangulação, Nenê conseguiu achar um passe espetacular para o jovem Gabriel Teixeira, que conseguiu tirar do goleiro Weverton, mas, mesmo com o gol vazio, acabou chutando em cima de Zé Rafael, que tirou em cima da linha. Em seguida, aos 33 minutos, Fred recebeu um ótimo lançamento na ponta e, com papéis trocados, conseguiu um cruzamento certeiro para Nenê, que desperdiçou.

No segundo tempo, a equipe paulista manteve a mesma postura, mas o Fluminense, que parecia àquela altura já estar sentindo a parte física – pelo fato de ter menos a bola –, já não conseguia mais as mesmas escapadas até a meta palmeirense. A situação piorou quando o atacante Caio Paulista, válvula de escape tricolor, saiu machucado, aos 4 minutos, sentindo a coxa. Com isso, mesmo que sem muita objetividade, o Palmeiras conseguiu empurrar o tricolor para o seu campo de defesa. Foi então que o líder do campeonato descobriu o melhor caminho para conseguir se aproximar da vitria: as jogadas pela beirada do campo; principalmente com Raphael Veiga e William, que entrou bem no jogo.

Assim saiu o gol. Aos 8 minutos, o incansável Raphael Veiga, que cresceu muito na etapa final, recebeu a bola na ponta, se aproveitou de uma falha de marcação do Egídio e, sem ser incomodado, cruzou para o meio da área. O zagueiro Manoel, atabalhoado, acabou chutando na direção da própria meta, e a bola ainda bateu no goleiro Marcos Felipe antes de entrar. Gol contra do defensor.

No fim do jogo, o Fluminense naturalmente até conseguiu ensaiar uma pressão, mas, já desarrumado e com pouco tempo para tentar alguma coisa, não conseguiu criar chances claras. Ao apito final, o Palmeiras chegou a 31 pontos e já abre seis à frente do Atlético-MG, que ainda vai jogar.

Agora, o Flu, que por enquanto se mantém na 9ª posição com 17 pontos conquistados, após a segunda derrota seguida, precisa juntar os cacos e levar para a sequência de jogos decisivos de Copa do Brasil e Libertadores da próxima semana. Alguns pontos positivos da noite deste sábado podem ser levados: Fred, que voltou de lesão e saiu só aos 25 minutos do segundo tempo, mostrou plenitude física, se movimentou bastante e fez uma boa partida. Apesar da falha que acabou definindo o revés, a defesa tricolor se mostra segura e há qualidade na saída de jogo. O técnico Roger Machado, no entanto, precisará corrigir as “panes” pontuais defensivas que acabaram custando caro, tanto neste sábado, quanto contra o Grêmio, na semana passada, no pênalti cometido por Callegari, que poderia ter sido evitado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos