Procurador diz ver 'fortes indícios' de lavagem de dinheiro em bens de Flávio Bolsonaro

Yahoo Notícias
Foto: FABIO TEIXEIRA/AFP/Getty Images
Foto: FABIO TEIXEIRA/AFP/Getty Images

Após uma investigação preliminar, o procurador da República Sérgio Pinel afirma ter encontrado “fortes indícios da prática de crime de lavagem de dinheiro” envolvendo o senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). As informações são do O Globo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Pinel analisou documentos sobre os bens de Flávio, manifestou sua posição ao Ministério Público Federal (MPF) e solicitou que o caso envolvendo o senador seja transferido para o Ministério Público do Rio (MP-RJ) por entender que as supostos ilegalidades encontrados não se tratam de crimes federais.

Leia também

A investigação que apura se Flavio Bolsonaro cometeu o crime de lavagem de dinheiro a partir de transações imobiliárias foi aberta depois de uma representação apresentada por um cidadão ao MPF.

De acordo com o Globo, a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão acatou o pedido e determinou que o caso seja encaminhado aos promotores estaduais.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Para o procurador, “as circunstâncias em que as compras (imóveis) foram feitas sugerem que os registros do valor de compra foram subavaliados, com parte do valor sendo pago por fora, em típico modus operandi de quem pretende ocultar a proveniência ilícita dos recursos e os converter em ativos lícitos com uma valorização irreal dos bens comprados”.

Desde 2018, o MP-RJ investiga o possível esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj e diz ter encontrado indícios de que o senador lavou mais de R$ 2 milhões com a compra de imóveis e em sua loja de chocolates.

Em abril, o Globo noticiou que, ao negar um habeas corpus de Flavio, o ministro Felix Fischer (STJ) afirmou ver “fortes indícios de materialidade e autoria de crimes”.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também