Flamengo x Palmeiras: clubes ensaiam protagonismo na temporada na decisão da Supercopa

Diogo Dantas
·3 minuto de leitura

Palmeiras e Flamengo tentam largar na frente em 2021 depois de protagonizarem as maiores conquistas dos dois últimos anos. Favoritos para uma repetida polarização nas disputas no futebol brasileiro e da América do Sul, as equipes se enfrentam na primeira decisão da temporada, a Supercopa, às 11h de hoje, em jogo único no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Não haverá público.

Após os paulistas erguerem a Libertadores e a Copa do Brasil, e os cariocas o Brasileiro, válidos pela temporada 2020, os dois clubes se reforçaram pouco, sob a alegação dos impactos da pandemia, enquanto rivais como Atlético-MG e Grêmio investiram para superá-los. Modestos nos gastos, Flamengo e Palmeiras também disputam a premiação de R$ 5 milhões — R$ 2 milhões para o vice.

Atual campeão da Supercopa, o Flamengo vai a campo com a equipe base já conhecida. O único reforço, o zagueiro Bruno Viana, emprestado pelo Braga, é reserva de Willian Arão, que ainda atua improvisado no esquema de Rogério Ceni. O centroavante Pedro, em recuperação de lesão, será desfalque. A tônica do clube este ano é vender jogadores para cumprir o orçamento e renovar com peças importantes como Gerson e Arrascaeta. Não há reforços em vista para o primeiro semestre.

Do lado do Palmeiras, só o volante Danilo Barbosa chegou, mas aprimora a parte física. O clube desistiu de Borré, atacante do River Plate. E busca ainda um centroavante. Luiz Adriano, o titular, é desfalque, com Covid-19, assim como Gabriel Menino, com uma torção. A tendência é o técnico português Abel Ferreira promover o retorno de Patrick de Paula, uma das sensações do time, entre os titulares.

Questão física pesa

Ambos os comandantes já deram declarações em que demonstraram alinhamento às limitações financeiras dos clubes para contratações. Mesmo assim, Ceni e Abel deixaram claro que gostariam de reforçar as equipes como contratações pontuais, escolhidas por eles. Os dois chegaram no meio de uma temporada e não conseguiram planejar os times nem o estilo de jogo em função das peças à disposição.

A final acontece pouco tempo depois do fim do recesso dos jogadores das duas equipes. A situação do Palmeiras é ainda pior do ponto de vista físico. O time, que atuou em 77 partidas na última temporada, se dividiu em dois grupos e recomeçou os trabalhos dia 19 de março. A primeira partida com força máxima foi no meio de semana, no primeiro jogo da Recopa Sul-Americana, contra o Defensa y Justicia, na Argentina.

No caso do Flamengo, a preparação começou dia 15 de março e a estreia dos titulares foi dia 31, diante do Bangu. A equipe rubro-negra ainda atuou em 10 jogos a menos que o Palmeiras ano passado, já que foi eliminada na Libertadores e na Copa do Brasil. Ainda assim, falta ritmo ideal para o time jogar em alta rotação por 90 minutos, como ocorreu em dois jogos do Estadual.

A postura das equipes nas poucas partidas até então indicam favoritismo ao Flamengo em função também da superioridade técnica. Taticamente, o jogo promete ser de domínio rubro-negro, com o Palmeiras esperando o rival para jogar em seu erro, com contra-ataques de velocidade. Em razão da duas defesas serem pontos fortes das equipes, a partida tem tudo para se desenvolver pelas laterais do campo.

O Palmeiras de Abel funciona de forma mais reativa e explora as bolas longas nas costas dos alas. Já o Flamengo, que neste início de temporada se apresentou aos moldes de outro português, Jorge Jesus, adota uma pressão maior sobre a saída de bola e na recuperação da mesma, e promete amassar o Palmeiras em sua defesa para manter-se no ataque, criando com seus quatro meias.

Em razão de todo o cenário, a decisão não deve sacramentar um favorito às principais conquistas de 2021. Mas servirá como motivação ao campeão. A Supercopa se apresenta hoje como um trailer do filme que será a temporada de 2021. Já é possível opinar sobre quais serão os protagonistas, mas seja qual for o resultado, ainda estaremos longe de saber quem ganhou o papel principal.