Flamengo vence Vélez (3-2) na Argentina pelo Grupo G da Libertadores

·3 minuto de leitura
O uruguaio Giorgian de Arrascaeta comemora após marcar o gol da vitória do Flamengo contra o Vélez em jogo da Copa Libertadores do dia 20 de abril de 2021, em Buenos Aires

O Flamengo derrotou o argentino Vélez Sarsfield por 3 a 2 como visitante, em uma partida agitada pela primeira partida do Grupo G da Copa Libertadores, disputada na noite desta terça-feira no estádio José Amalfitani, em Buenos Aires.

Lucas Janson (21 e 53) marcou os dois gols do Vélez, enquanto Willian Arão (43), Gabriel Barbosa (61, de pênalti) e o uruguaio Giorgian de Arrascaeta (79) balançaram as redes para o time carioca, em duelo equilibrado e com reviravoltas, em que o rubro-negro, campeão em 2019, fez valer seu favoritismo.

O Vélez terminou a partida com dez jogadores devido à expulsão de Federico Mancuello (86) por ter cometido uma falta dura sobre Gabriel Barbosa, o 'Gabigol', que o colombiano Wilmar Roldán puniu com um cartão vermelho direto.

Na segunda rodada, que será disputada na próxima semana, o Flamengo vai receber a chilena Unión La Calera, enquanto o Vélez visita a LDU, no Equador.

- Vélez abre o placar -

O Flamengo começou bem a partida, com boa troca de passes, procurando ocupar espaços e chegar ao ataque com velocidade, e quase abriu o placar em uma chegada de Everton Ribeiro e um lançamento da direita que Gabigol não conseguiu chegar a tempo.

O Vélez logo percebeu que estava enfrentando um adversário incisivo e muito perigoso no ataque, atento a eventuais erros no fundo, mas o time local não desistiu de tomar a iniciativa e disputou a posse de bola com a equipe visitante.

E foi o time argentina quem abriu o placar, em uma boa jogada de Juan Lucero dentro da área, que teve tempo e espaço para ajeitar, se livrou de Gustavo Henrique, e cruzou para trás para a chegada de Janson, que mandou para o fundo da rede com precisão após surpreender toda a defesa e o goleiro.

Bem na posse de bola, o Vélez buscou desacelerar o ritmo do Flamengo, e tentou se defender diante de um adversário que não se abalou com o gol sofrido e reagiu imediatamente.

O time da casa esteve perto do segundo gol com um chute rasteiro de pé esquerdo de Thiago Almada que passou perto da trave, mas foi o rubro-negro quem fez 1 a 1 antes de ir para o vestiário, em um escanteio que a defesa local não conseguiu afastar totalmente, Gérson ajeitou e com um belo passe deixou Willian Arão sozinho para definir com calma na frente do goleiro.

- Golaço de Arrascaeta -

As emoções continuaram em um segundo tempo bastante movimentado, com duas equipes ambiciosas, determinadas a conquistar os três pontos.

Mais uma vez, foi o Vélez quem ficou na frente no placar em uma cobrança de escanteio que Giannetti cabeceou primeiro, tocando para Janson, que a empurrou para o fundo da rede com a testa gerando protesto de todo o time do Flamengo. Mas o jogador não estava impedido.

Porém, a alegria da equipe de Mauricio Pellegrino não durou muito, pois Gabriel Barbosa, um pesadelo para a defesa argentina ao longo da partida, abriu espaço na área, virou com a bola dominada, e o goleiro Hoyos lhe cometeu um pênalti que o próprio Gabigol cobrou colocado, no canto.

O empate caiu bem para o Flamengo, que por duas vezes reagiu depois de estar em desvantagem e saiu em busca da vitória. O time quase marcou com um chute de pé esquerdo do uruguaio Arrascaeta que passou perto da trave esquerda, e depois com um grande contra-ataque de Gabigol que avançou sozinho, mas Hoyos salvou com um tapa.

Muito mais perigoso em suas investidas, o time carioca conseguiu marcar o terceiro gol a onze minutos do fim com uma bomba de Arrascaeta, um belo chute de pé esquerdo em que a bola entrou no ângulo direito.

As últimas esperanças de Vélez acabaram com a expulsão de Mancuello, devido a uma falta dura sobre Gabigol logo quando estava ao lado do árbitro Roldán.

No final foi premiada a ambição e a hierarquia do Flamengo, sério candidato ao título, enquanto o time argentino, ao qual faltou experiência para aproveitar seu momento favorável, saiu de mãos vazias.

str/cl/aam