Flamengo vence Barcelona de Guayaquil (2-0) e vai à final da Libertadores

·4 minuto de leitura
O atacante do Flamengo Bruno Henrique comemora depois de marcar contra o Barcelona do Equador na vitória por 2 a 0 que levou o time carioca à final da Copa Libertadores-2021 (AFP/SANTIAGO ARCOS)

O Flamengo confirmou os prognósticos e venceu o Barcelona por 2 a 0 em partida disputada nesta quarta-feira em Guayaquil, eliminando assim os equatorianos (4 a 0 no placar agregado) e se classificando para a final em jogo único da Libertadores-2021 contra o atual campeão, o Palmeiras.

O destaque da noite foi o atacante Bruno Henrique, que voltou a marcar duas vezes, aos 18 e 50 minutos da partida que foi disputada no estádio Monumental, que pertence aos 'canarios'.

O atacante canhoto repetiu a dose do jogo de ida em que o rubro-negro havia vencido pelo mesmo placar, na semana passada, no Maracanã.

Embora o Barcelona tenha provocado alguns sustos na defesa do time carioca, o Flamengo confirmou seu poder ofensivo e segurou a pressão para chegar à final no dia 27 de novembro em Montevidéu contra o Palmeiras em um duelo de bicampeões.

A desvantagem logo no início obrigou o time equatoriano a partir para cima e para isso buscou atacar pela direita por meio de Byron Castillo.

O rubro-negro se posicionou atrás da linha da bola para finalizar com sua arma letal: o contra-ataque.

- Quem não faz, leva -

No momento em que o time da casa tinha a posse de bola e começava a levar perigo, o Flamengo perdeu o zagueiro David Luiz, que se machucou sozinho levando a mão à virilha, antes dos dez minutos de jogo.

Enquanto o substituto Gustavo Henrique se posicionava, os 'toreros' assustavam a área carioca, mas, assim como havia acontecido na semana passada, o eficiente Diego Alves voltou a brilhar. O goleiro impediu pelo menos três gols na primeira etapa, em chutes certeiros de Mario Pineida, Leandro Martínez e Gonzalo Mastriani.

O time equatoriano desperdiçou suas chances enquanto a equipe do técnico Renato Gaúcho não perdoou no contra-ataque.

Willian Arão recuperou a bola no meio de campo e tocou para Everton Ribeiro, que deu um passe milimétrico para Bruno Henrique, que avançou, driblou o goleiro Javier Burray e mandou para o fundo da rede aos 18 minutos.

O placar era praticamente uma sentença de morte para os equatorianos, que ficaram obrigados a marcar quatro gols para avançar à final.

Ferido, o time da casa partiu com tudo e teve chances aos pés de Mario Pineida e do argentino Emmanuel Martínez, mas esbarraram em Diego Alves.

- Flamengo administra -

O rubro-negro passou a se defender com o que sabe fazer melhor: o controle e o toque de bola e quando se animou colocou em apuros o goleiro Burray.

Para o segundo tempo, o técnico Fabián Bustos, colocou em campo o talentoso Damián Díaz mas foi o Flamengo que confirmou a força e a qualidade de sua equipe. Em uma jogada de 13 toques a bola chegou aos pés dos dois parceiros do primeiro gol, Everton Ribeiro e Bruno Henrique, que chutou para fazer 2 a 0 aos 50 minutos de jogo.

Com muito jogo pela frente, o Barcelona ao menos o gol de honra, mas sem sucesso.

O campeão equatoriano fechou uma campanha marcante em que venceu grandes times como os ex-campeões Boca Juniors, Santos, Vélez e nas quartas de final o Fluminense, que foi eliminado em Guayaquil.

Já o rubro-negro confirmou a invencibilidade em 12 jogos desta edição da Libertadores, com 32 gols a favor e apenas 12 contra.

O Flamengo segue para Montevidéu, onde, no dia 27 de novembro, busca seu terceiro título continental (depois dos conquistados em 1981 e 2019) contra o Palmeiras (que se sagrou campeão em 1999 e 2020).

-- Ficha técnica:

Estádio: Isidro Romero Carbo (Guayaquil)

Árbitro: Roberto Tobar (CHI)

Gols:

Flamengo: Bruno Henrique (18, 50)

Cartões amarelos:

Barcelona SC: Leon (48), Piñatares (70)

Flamengo: Pereira (1), Arão (67)

Escalações:

Barcelona SC: Javier Burrai (cap) - Byron Castillo, Luis Leon, Williams Riveros, Mario Pineida - Leandro Emmanuel Martinez, Michael Alexander Carcelen (Jonathan Perlaza 56), Bruno Piñatares (Matías Oyola 79), Adonis Preciado (Damian Diaz 46) - Carlos Garces (Gabriel Cortez 56), Gonzalo Mastriani (Sergio López 79). Técnico: Fabian Daniel Bustos.

Flamengo: Diego Alves - Mauricio Isla, Rodrigo Caio, David Luiz (Gustavo Henrique 10), Filipe Luis (Rene 70) - Everton Ribeiro (cap), Willian Arão, Arrascaeta (Pedro 77), Andreas Pereira (Bruno Viana 77), Bruno Henrique (Michael Delgado de Oliveira 71) - Gabriel Barbosa Almeida. Técnico: Renato Gaúcho.

dsl/gfe/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos