Flamengo registra maior déficit de sua história

Jorge Nicola
·2 minuto de leitura
Trecho do balanço do Flamengo que retrata o prejuízo de R$ 106,9 milhões em 2020
Trecho do balanço do Flamengo que retrata o prejuízo de R$ 106,9 milhões em 2020

Quase R$ 107 milhões. É esse o déficit do Flamengo em 2020, de acordo com o balanço do clube ao qual o Blog teve acesso. Nunca, na história, o Rubro-Negro fechou um ano com tamanho prejuízo. Foram R$ 106,9 milhões no vermelho, apesar da receita de R$ 756 milhões, mesmo em meio a todas as perdas com a pandemia da Covid-19.

É o maior déficit da história rubro-negra. A Sports Valeu fez um levantamento com o histórico dos últimos resultados do Fla apontando prejuízos em 2003 (R$ 24 milhões), 2006 (R$ 14 milhões), 2007 (R$ 59 milhões), 2008 (R$ 3 milhões), 2009 (R$ 31 milhões), 2010 (R$ 22 milhões), 2011 (R$ 12 milhões), 2012 (R$ 60 milhões) e 2013 (R$ 20 milhões).

Leia também:

O Flamengo de 2020 perdeu 73% de bilheteria e viu seu sócio-torcedor despencar de 125 mil adimplentes para pouco mais de 50 mil em uma temporada. A situação só não foi pior por causa das vendas de atletas, que rendeu R$ 222 milhões.

Dono da maior folha salarial do país, o Flamengo só conseguiu reduzir em R$ 67 milhões sua dívida ao longo de 2020 - o menor em seis anos. O clube ainda precisou pegar empréstimos bancários que só serão pagos a partir do ano que vem.

O balanço também apresenta números impressionantes em relação a investimentos para a compra de atletas. O custo total da aquisição de Gabigol, incluindo comissões e impostos, chega a R$ 97 milhões. Pedro sairá por R$ 88 milhões. Arrascaeta, R$ 81 milhões. Gerson, mais R$ 65 milhões.

A soma das quatro operações alcança R$ 331 milhões. E nesta conta nem estão incluídos os R$ 38,5 milhões de Michael, R$ 34,2 milhões de Léo Pereira, e por aí vai.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola