Flamengo reencontra o melhor Flamengo para renovar sua grandeza

Como surgiu e por que é disputada a pré-libertadores? A Goal explica para você!
Como surgiu e por que é disputada a pré-libertadores? A Goal explica para você!

O conceito de “clube grande” não é eterno e não mantém sua porta trancada para outros que venham a adquirir uma grandeza inédita.

Existem, por exemplo, clubes que já se sentaram no trono do futebol e não são mais os mesmos. Para evitar emoções mais exacerbadas, vamos citar aqui apenas alguns exemplos da Europa: o Torino é uma grande instituição na Itália, mas está longe de ser uma potência no país apesar dos títulos conquistados muitas décadas atrás; por outras razões, o Celtic provavelmente nunca mais será tão poderoso perante o futebol europeu quanto foi nos anos 60.

Do outro lado, o Chelsea é um exemplo de clube que ganhou um nível inédito de grandeza nas últimas décadas. Os Blues já tinham a sua grandeza e tradição, mas o protagonismo iniciado a partir de 2003 os tornou numa potência respeitada mundialmente. Ganhou mais títulos do que já havia somado até então, além de ter conquistado a glória máxima e inédita da Liga dos Campeões em 2012. Hoje não há dúvidas de que o Chelsea não é apenas grande, como é maior do que havia sido no século anterior.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Aos clubes que já eram grandes e se mantém assim, de tempos em tempos é importante revalidar este status. É como se fosse um “eu estou aqui”. Afinal de contas, no ciclo de vitórias, empates e derrotas é impossível que um clube seja, ininterruptamente, dominante durante o todo sempre. Ainda bem.

Seguindo com os exemplos europeus: em 2006 o Barcelona revalidou o seu status de titã do continente ao vencer a sua segunda Champions League, 14 anos após o primeiro título, e viria a escrever um capítulo de dominância esportiva até então inédita em sua história.

Já o Real Madrid recentemente voltou a conseguir emplacar uma sequência de taças europeias comparável apenas à época em que praticamente monopolizou a disputa continental, na década de 50.

Quando um grande clube que já teve seu ápice se reencontra, após um período perdido, com este ápice, é como se reencontrasse consigo. Um novo auge é reescrito e gera até mesmo forças que possam lhe encorajar a buscar ainda mais.

Com poder de investimento, grandes jogadores, um futebol muito bem jogado e apoio gigantesco de seus milhões de torcedores, neste segundo semestre de 2019 o Flamengo se reencontrou consigo. Deu um sorriso e um abraço em sua melhor versão anterior sentindo-se, dentro do que é hoje, um igual, com a consciência de que mostrou ao seu país e continente quem verdadeiramente é. Um gigante.

Leia também