Flamengo quase dobra valor de patrocínio nas costas do uniforme em relação à parceria anterior

LANCE!
·2 minuto de leitura


Embalado por dois títulos conquistados em abril, o Flamengo também tem motivo de sobra para sorrir nos bastidores da Gávea. Isso porque, o clube fechou um patrocínio com o Mercado Livre, que renderá R$ 30 milhões até o fim do contrato, em dezembro de 2022 - cerca de R$ 1,5 milhão por mês.

Proporcionalmente, o valor a ser embolsado é quase o dobro em relação à parceria anterior.

A MRV, que estampava a sua marca nas costas do uniforme, o mesmo que fará o Mercado Livre até o próximo ano, pagava R$ 10 milhões por ano ao Fla. Nesse acordo, ao todo, a construtora desembolsou R$ 20 milhões, referentes às temporadas 2019 e 2020.

Até assinar com o Mercado Livre por 20 meses de contrato, o Flamengo estava atrás de um patrocinador para o parte traseira da camisa (de treino e jogo) desde o fevereiro, quando soube que a MRV não renovaria o vínculo.

Cabe destacar que o Flamengo, na previsão do orçamento para 2021, tem uma meta estipulada de aumentar as receitas de patrocínios em R$ 40 milhões (de 109 milhões para R$ 149 milhões) de 2020 para este ano.

- Ter uma marca como esta investindo no futebol brasileiro é algo muito positivo e mostra a força do nosso mercado. Temos certeza que esta nossa união trará um ótimo resultado para os dois lados e, principalmente, ajudará a dar ainda mais alegrias para a Nação Rubro-negra. Vamos seguindo adiante para fazer o nosso Flamengo ainda mais forte e vencedor - comemorou Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, em comunicado oficial.

+ Veja a tabela completa da Libertadores

O Mercado Livre, que venceu a concorrência com a Amazon e levou vantagem pelo tempo de contrato oferecido, sobretudo, já interagiu com o Flamengo nas redes sociais.

- Tô mandando um presentinho pra vocês com Envio Rápido. Segura aí que tá chegando!

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em tempo: o acordo com o Mercado Livre, estatutariamente, ainda precisa passar pela aprovação do Conselho Deliberativo do clube.