Flamengo está perto de encorpar setor tido como 'Calcanhar de Aquiles' na atual temporada

Lazlo Dalfovo
·3 minuto de leitura


A partir de março, quando a temporada 2021 iniciar, o Flamengo, independente de quem for o título brasileiro, freará as suas investidas no mercado em relação a 2020, além de "facilitar" vendas para reequilibrar finanças. Porém, dois reforços já estão encaminhados, sendo ambos a custo zero: Rafinha, sem clube, e Bruno Viana, por empréstimo.

Ou seja, nota-se que as tais "oportunidades de mercado", constantemente destacadas por Marcos Braz e Bruno Spindel, vice-presidente e diretor executivo de futebol do Flamengo, serão prioridades em detrimento a transferências diretas, como as de Gabigol (posteriormente), Michael e Léo Pereira no ano passado, que culminaram em cerca de R$ 141 milhões gastos (segundo os demonstrativos financeiros do clube), por exemplo.

Rafinha já sabe as condições que o Flamengo está disposto a timbrar no contrato, como um salário inferior ao que recebia e vínculo até dezembro deste ano. Desde a última segunda no Rio de Janeiro, o lateral-direito ainda não confirmou o acordo, mas o clube, internamente, já conta com a repatriação.

Aos 35 anos, o lateral estava fora dos planos do Fla, porém o cenário mudou quando ele se despediu do Olympiacos-GRE, após 23 jogos, e externou que deseja retornar ao futebol brasileiro. A partir da rescisão, Braz entrou em contato com Rafinha, com a anuência do departamento de futebol.

Rafinha
Rafinha

Rafinha está com 35 anos (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Dirigentes do Flamengo e Rafinha, que tem sondagens de outros clubes brasileiros, como o Atlético-MG, ainda sentarão ao longo desta semana para, possivelmente, rumar à assinatura de contrato.

Além de Rafinha, Bruno Viana está encaminhado. O zagueiro, aliás, deve ser oficializado antes do lateral-direito. Já houve acerto entre as partes para que o vínculo seja assinado. Restam trâmites burocráticos para que Bruno seja emprestado pelo Braga, de Portugal, até o fim do ano, com opção de compra estipulada em 7,5 milhões de euros (cerca de R$ 48 milhões).

Bruno Viana - Braga
Bruno Viana - Braga

Bruno Viana é uma aposta para a zaga (Foto: Divulgação / Braga)

PARA OPERAR O CALCANHAR

Ontem, ambos chegaram no mesmo voo oriundo da Europa, inclusive. Rafinha e Bruno Viana estão próximos de encorpar o setor defensivo, tido como o "Calcanhar de Aquiles" do Flamengo na atual temporada.

Para se ter uma ideia, só em relação a duplas de zaga, foram nove diferentes ao longo da temporada - marcada por falhas e gols levados em profusão. Sem Rodrigo Caio (lesionado), Willian Arão - improvisado - e Gustavo Henrique, que tem deixado a desconfiança para trás nos últimos jogos, têm composto o setor.

Na lateral direita, Isla é titular absoluto. Matheuzinho tem sido o reserva imediato, mas ainda é tratado como uma joia a ser lapidada, enquanto João Lucas está em viés de despedida. Por ali, cabe lembrar, Vitinho chegou a ser improvisado por Rogério Ceni em uma ocasião.

> Confiante no título? Veja e simule a tabela do Brasileiro

Em suma, além da vantajosa aposta em Bruno Viana, as lideranças técnica e de influência comportamental de Rafinha elevarão o nível do setor a fim de alijar a dor de cabeça passada pelos treinadores do Flamengo em 2020/21.