Flamengo e Botafogo lamentam morte de Elza Soares; cantora morre na mesma data de Garrincha

·2 min de leitura

Morreu nesta quinta-feira, aos 91 anos, a cantora Elza Soares, no Rio de Janeiro. Segundo a família, a carioca faleceu em casa, por causas naturais. A cantora recebeu uma série de homenagens, entre elas, do Flamengo, seu clube do coração.

"O Clube de Regatas do Flamengo lamenta profundamente a morte da magnífica cantora Elza Soares. Rubro-negra de coração, ela nos deixa no mesmo dia em que o craque Garrincha, seu grande amor, se foi há 39 anos", escreveu o clube nas redes sociais. Na homenagem, Elza aparece vestida com a camisa do clube.

A data de 20 de janeiro, como lembrou o Flamengo, marca o falecimento de Garrincha, com quem Elza foi casada durante 16 anos. Ela em 2022, ele em 1983.

O Botafogo também se manifestou:

"O Botafogo lamenta a morte da cantora e compositora Elza Soares, ícone para a música popular brasileira, e ex-esposa de Mané Garrincha, ídolo alvinegro e maior jogador de todos os tempos. Por ironia do destino, ela nos deixa em um 20 de janeiro, mesmo dia que o craque se foi".

Elza e Garrincha protagonizaram um dos romances mais conhecidos. Isso porque o Anjo das Pernas Tortas era um dos maiores jogadores do futebol mundial na década de 1960 e Elza Soares era uma verdadeira rainha da música brasileira. Tanto que, mesmo em tempos distantes, já despontava como símbolo da mulher independente.

Eles se conheceram meses antes da Copa do Mundo de 1962, realizada no Chile. Na ocasião, a cantora estava em pleno auge de seu sucesso, e foi assistir a um treino do Botafogo onde conheceria o jogador. Pouco depois, Elza foi convidada para ser madrinha de Garrincha em um concurso de popularidade entre os jogadores que disputariam o Mundial de 1962.

Na época, Garrincha era casado e, por conta de sua nova e arrebatadora paixão, se separou da esposa. Ao lado de Elza, teve um filho e manteve uma relação por mais de dezessete anos. O filho, Júnior, faleceu em um acidente de carro em 1986.

Anos depois, quando Garrincha começou a conviver com problemas físicos e precisou fazer um delicado procedimento cirúrgico no joelho, foi Elza quem o ajudou a arcar com os custos. O momento mais polêmico foi quando o ex-jogador viveu a derrocada financeira por conta da bebida.

Elza chegou a ser agredida fisicamente por Garrincha, mas não denunciou o caso. Anos mais tarde, surgiu a canção Maria da Vila Matilde, onde a cantora conta o fato. Elza publicou em 1969 um livro intitulado Minha vida com Mané, onde conta detalhes da história de amor que viveu com Mané.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos