Flamengo deve emprestar jogadores para quitar dívida com o Náutico; entenda

Goal.com

Os times têm sofrida financeiramente com a crise causada pela pandemia do coronavírus Covid-19, e no Brasil não é diferente. Nem mesmo o gigante Flamengo está ileso do problemas com dinheiro e está tendo que adotar medidas para não aumentar o tamanho do problema. 

Mesmo sendo um dos times mais financeiramente poderosos no Brasil e ter previsto ïmpactos absorvíveis", o Rubro-Negro admitiu as dificuldades que está enfrentando durante a crise. Depois de dizer que não teria que seguir a tendência de redução de salários, o clube carioca teve que repensar sua decisão, além de ter que recorrer ao corte de funcionários.

Mas não é só isso, o Flamengo também tem encontrado dificuldade para quitar alguma dívidas. A parcela de € 250 mil, devida ao Naútico pelo atacante Thiago - contratado em dezembro de 2019 -, ainda não foi paga e os times estão buscando "um denominador comum", segundo Diógenes Braga, vice-presidente do Timbu. "Não posso dizer mais que isso. A única coisa é que buscaremos algo razoável para as duas equipes", disse confirmando a tentativa dos clubes de chegar a um acordo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A solução, segundo o Globoesporte.com, deve ser a disponibilização de atletas rubro-negros para empréstimo ao Náutico, com o Flamengo como reponsável pelos salários, a fim de diminuir o montante devido, já que além da parcela de abril, mais três são previstas para junho, agosto e outubro, até a quitação de Thiago.

Desde o início da crise financeira no futebol o Flamengo tem enfrentado alguns percalços:  já perdeu um de seus patrocinadores e ainda não recebeu uma parcela do acordo que tem com a fornecedora de materiais esportivos, além dos altos valores que deve perder sem os jogos e a possibilidade de se haver uma redução momentânea nos valores pagos pela Globo

Apesar disso, o clube afirmava que não teria os mesmo problemas que outros times e, por isso, não estava cogitando redução salarial e corte de funcionários. No entanto, hoje, o clube vive outra realidade e precisou repensar suas decisões.

Leia também